NA CÂMARA

Proposta de Reforma Administrativa mantém estabilidade dos servidores públicos

A comissão é presidida pelo deputado federal pernambucano Fernando Monteiro (PP).

José Matheus Santos
Cadastrado por
José Matheus Santos
Publicado em 01/09/2021 às 11:07 | Atualizado em 01/09/2021 às 11:14
Divulgação
Arthur Maia, Fernando Monteiro e Arthur Lira - FOTO: Divulgação
Leitura:

A estabilidade dos atuais e futuros servidores públicos foi mantida no relatório da PEC 32/2020, protocolado nesta terça-feira (31), na Câmara dos Deputados, e elaborado a partir dos trabalhos da Comissão Especial sobre a Reforma Administrativa.

A comissão é presidida pelo deputado federal pernambucano Fernando Monteiro (PP).

O texto, que tem como relator o deputado Arthur Maia (DEM-BA), também determina que qualquer tipo de demissão estará submetida à avaliação de desempenho também pelos usuários do serviço através de plataformas digitais. Caso seja mal avaliado, o servidor terá espaço para defesa. As novas regras não serão aplicadas aos servidores já na ativa.

“No diálogo, na transparência e no debate respeitoso também conseguimos manter o atual Regime Jurídico Único, importante vitória para os servidores públicos do país. O relatório propõe manter a realização de concurso público para a contratação de servidores, mantendo a contratação de comissionados para cargos em comissão e o contrato temporário”, afirma Fernando Monteiro.

Outra alteração na proposta originalmente apresentada pelo Executivo foi a retirada do vínculo de experiência. Além disso, o relator propôs que o servidor passe por seis avaliações semestrais para conquistar a estabilidade.

O relatório começa a ser lido e discutido pelos membros da comissão especial nesta quarta-feira (1º). O texto deve ser votado entre os dias 15 e 16 de setembro na comissão especial, quando seguirá para o plenário da Câmara.

Comentários

Últimas notícias