Blog de Jamildo - Tudo sobre política e economia com informação exclusiva, análise e opinião
Blog de Jamildo

Política do Recife, Pernambuco e do Brasil. Informações exclusivas, bastidores e tudo que você precisa saber sobre o mundo político

ELEIÇÕES 2022

Trégua durou pouco: Ciro Gomes volta a criticar Lula

Pré-candidato rompeu trégua com o PT e fez críticas ao ex-presidente

Augusto Tenório
Augusto Tenório
Publicado em 11/10/2021 às 15:27
Notícia
RODOLFO LOEPERT/DIVULGAÇÃO
ESQUERDA Ciro Gomes vai ao ato da Avenida Paulista, hoje; PT e Psol, porém, buscam distância da direita - FOTO: RODOLFO LOEPERT/DIVULGAÇÃO
Leitura:

Durou pouco a trégua entre Ciro Gomes (PDT) e o Partido dos Trabalhadores, anunciada após os ataques ao pré-candidato no protesto do último dia 2. Nesta segunda (11), o ex-ministro votou a criticar Lula nas redes sociais, afirmando que o pré-candidato do PT "não renovou suas ideias".

"Será que Lula tem condições de governar bem hoje em dia? Digo isso porque ele não renovou as suas ideias nem aprendeu com os seus erros. É só ver que ele está se juntando com os mesmos de sempre, incluindo aqueles que derrubaram Dilma", provocou Ciro Gomes na legenda de vídeo publicado no Facebook.

 
 

A publicação deu certo e engajou cerca de 30% mais que a média dos seus outros conteúdos publicados na rede social. Dessa forma, durou menos de dez dias a "trégua de Natal" proposta para aumentar a coesão nas forças que atuam contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

"Se você pensa em apoiar Lula por causa do que ele fez no passado, talvez fosse o caso de refletir mais profundamente. Você acha que ele terá condições de governar bem nos dias de hoje? Lembre que o Brasil mudou muito, e Lula não renovou as ideias? Será que ele se corrigiu e não vai repetir aqueles erros terríveis que você só descobriu depois? O pior é que você nunca viu ele pedir perdão pelos erros e está vendo ele se juntar, de novo, às mesmas pessoas", diz Ciro Gomes no vídeo.

Em manifestação da oposição, Ciro Gomes foi alvo de vaias e tentativa de agressão

Os protestos contra Jair Bolsonaro (sem partido) nesse sábado, 2 de outubro, mostraram não somente o descontentamento de parcela da população contra o mandatário brasileiro. Mostrou-se, também, a desavença entre opositores ao presidente, com ápice nas vaias e tentativa de agressão contra Ciro Gomes (PDT-CE) na Avenida Paulista. O pré-candidato, porém, diz que não será intimidado.

"Fui com o peito aberto e a coragem que Deus sempre me deu. E sabendo, de antemão, que poderia enfrentar a fúria e a deselegância de alguns radicais. Os radicais, seja da esquerda ou da direita, nunca me intimidaram e nunca me intimidarão, nunca me impedirão de ir à luta em favor da democracia, porque as ruas não tem dono e a democracia não tem senhores", disse Ciro Gomes em vídeo publicado no seu Twitter.

O pré-candidato à presidência foi vaiado por parte dos manifestantes durante discurso na Avenida Paulista. Após a fala, um grupo de militantes encontrou o ex-governador do Ceará no carro onde ele, ao lado de Carlos Lupi, presidente do PDT, deixaria o local. Um deles tentou jogar uma garrafa no político, mas foi contido por policiais. Outros arremessaram objetos no veículo.

Comentários

Últimas notícias