Nova logística

Escola de Sargentos pode impulsionar obras do Arco Metropolitano

Complexo militar que Pernambuco irá receber inclui escola de formação, vila olímpica, vila militar, estande de tiro, complexo logístico e centro de convivência

Jamildo Melo
Cadastrado por
Jamildo Melo
Publicado em 25/10/2021 às 4:49 | Atualizado em 25/10/2021 às 15:02
Divulgação
Maquete da nova escola - FOTO: Divulgação
Leitura:

A nova Escola de Formação e Graduação de Sargentos de Carreira do Exército que Pernambuco irá sediar compreende um complexo de táticas militares e vai funcionar em uma área de 75 km², nas instalações do Campo de Instrução Marechal Newton Cavalcanti (CIMNC), nasAlém de coloca P abrangências dos municípios de Abreu e Lima, Paudalho, Araçoiaba, Camaragibe, São Lourenço da Mata e Igarassu. ernambuco em destaque na formação de sargentos fora do eixo Sul-Sudeste, o empreendimento vai gerar um impacto econômico e social para o Estado, a partir da geração de novos empregos e obras de infraestrutura para os moradores da região.

A pergunta que muitos políticos estão se fazendo é se o novo projeto estruturador vai acabar ainda ajudando a destravar o projeto do Arco Metropolitano, promessa ainda de Eduardo Campos para ajudar no escoamento da produção da fabrica da Jeep, diante de uma 101 congestionada. Nos batidores, para muitos deles, a resposta é sim.

"Não tem como não ter avanço. Eles vão precisar de uma nova estrutura viária na região. Tem que ter duplicação, pontes, toda uma estrutura viária para veículos pesados. Não é só, haverá ainda todo um consumo diferente naquele território, que precisa ter como chegar", conta um ex-oficial do CPOR.

E quanto a questão ambiental? "Há 60 anos, o Exército criou a mata que existe ali unindo 11 engenhos. Assim, só existe proteção ambiental hoje porque o Exército fez".

O executivo do grupo empresarial Atitude Guilherme Cavalcanti também acha evidente que haja avanço agora e complementa que a nova realidade joga mais luz no problema, quando questionado se o Arco vai sair finalmente. "O desafio é conseguir uma solução que una ações e compensações".

Possivelmente para não ter polêmica antes da hora, ao se referir ao novo polo de desenvolvimento, o Estado citou apenas novas linhas de ônibus par acesso.

Conforme o Estado, o acesso à Nova Escola de Sargentos será incrementado com reforço na frota em duas linhas de ônibus já existentes (Chã de Cruz / TI Camaragibe e Araçoiaba / TI Camaragibe) e criação de uma nova linha de ônibus interligando a Nova Escola de Sargentos diretamente ao Complexo Logístico. Serão criadas ainda quatro novas linhas, interligando o Complexo Logístico a Terminais Integrados. São elas: Complexo Logístico/ TI TIP; Complexo Logístico/TI Cosme Damião; Complexo Logístico/TI Camaragibe e Complexo Logístico/TI Caxangá. A partir dos quatro Terminais Integrados que receberão essas linhas, o passageiro terá a possibilidade de chegar a vários destinos intermunicipais e interestaduais, além do acesso ao Aeroporto Internacional dos Guararapes.

“A atração desse investimento vai possibilitar a geração de empregos diretos e indiretos e um desenvolvimento social e econômico de toda a região. O Estado vai ofertar toda a infraestrutura necessária para viabilizar a implantação da escola aqui em Pernambuco, que abrange ações nas áreas de abastecimento de água, saneamento, mobilidade urbana, rede de energia, fibra ótica e acessos viários”. No projeto, ainda está previsto um Centro de Convivência para apoio aos moradores, de cinco hectares, que inclui áreas de lazer, serviços e comércio", afirma o secretário executivo de Gestão Estratégica da Secretaria de Planejamento e Gestão de Pernambuco (Seplag), Pabllo Brandão, explicando os benefícios do empreendimento para a população pernambucana.


Para assegurar a vinda da escola, o Governo se comprometeu a investir R$ 320 milhões em obras de infraestrutura no entorno da área onde será instalada a instituição.

Reprodução
Imagem do projeto apresentado pelo Governo de Pernambuco - Reprodução

Alguns detalhes do projeto

ESCOLA: Área de 840 mil m². Terá pavilhões dos cursos (salas de aula e instrução, alojamentos e auditórios); pavilhão administrativo; pavilhão de comando; refeitório e cozinha.


VILA OLÍMPICA: Área de 140 mil m². Terá conjunto de piscinas; 2 ginásios multiuso; 10 quadras poliesportivas; pista de atletismo; pistas de aplicações militares (pista de pentatlo, pista de cordas); pavilhão administrativo.

VILA MILITAR: Área de 145 mil m². Terá 4 blocos de 24 unidades residenciais de 98 m² (3 quartos cada um), totalizando 576 apartamentos.


ESTANDE DE TIRO: Área de 110 mil m². Terá pavilhão administrativo; reservas de armamento; estande para armas curtas; estande para armas longas; simuladores de tiro

Comentários

Últimas notícias