Religião e política

Vereadores explicam razões para barrar requerimento de Michele Collins contra Carnaval

O também evangélico Júnior Tércio votou contra a proposta de Michele Collins

JAMILDO MELO
JAMILDO MELO
Publicado em 08/12/2021 às 19:05
Divulgação
A vereadora Michele Collins queria um voto pela proibição da festa popular - FOTO: Divulgação
Leitura:

Nesta terça-feira, a Câmara do Recife votou o requerimento nº 12039/21 que pedia para não ter Carnaval em 2022. A proposição de autoria da vereadora Missionária Michele Collins (PP), teve 16 votos contra, cinco a favor e três abstenções.

Segundo Collins, a sua proposta está alinhada com entidades como o CREMEPE, SIMEPE, o Comitê Científico do Consórcio Nordeste e outros órgãos científicos.

“E é nesse sentido que fizemos esse requerimento. Estamos falando de vidas. E isso não tem preço. Pedimos que a prefeitura apresente um plano para contemplar as pessoas que vivem da renda proveniente do Carnaval. Porém, a vida em primeiro lugar”, disse.

Vereadores que acompanharam a sessão afirmaram ao blog que a vereadora obteve insucesso porque tentou impor sua vontade ao grupo, uma vez que existe a disposição de discutir o tema, com amplos setores da sociedade, inclusive os informais.

Veja a nota oficial da COMISSÃO ESPECIAL SOBRE A RETOMADA DO CARNAVAL, SÃO JOÃO E DEMAIS GRANDES EVENTOS DO RECIFE

A Comissão Especial sobre a retomada do Carnaval, São João e demais grandes Eventos do Recife entende que a decisão sobre a realização, adiamento ou cancelamento do Carnaval de 2022 não é coisa simples. Deve estar amparada em um debate amplo, democrático e conjunto com autoridades sanitárias, artistas, produtores, empresários, trabalhadores e toda a cadeia produtiva da nossa Cultura. Esta é a finalidade desta comissão, que já iniciou seus trabalhos e vem fazendo diversos debates que resultarão num relatório que será encaminhado à prefeitura no dia 22 de dezembro.

Em reuniões públicas em formato híbrido, já realizamos escutas do setor artístico-cultural, empresarial e econômico. Na quinta (09/12), de maneira histórica, sediaremos uma debate com as Câmaras Municipais de Olinda, Salvador, Fortaleza, Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro para discutirmos juntos alternativas e cenários possíveis diante do contexto da pandemia. Organizações da área da saúde também serão convidadas, assim como o próprio Poder Executivo.

Nosso objetivo é acompanhar, fiscalizar e avaliar a viabilidade sanitária e econômica para realização das festividades de Carnaval e São João de 2022. Entendemos que nossa tarefa, a partir destas consultas, é elencar possibilidades referentes a cada cenário possível, fazendo com que a gestão pública possa decidir que medidas poderão ser postas em prática antes, durante e depois das datas previstas para os festejos, sendo eles realizados da forma tradicional ou não. Trata-se de um trabalho complexo, que não pode se limitar aos cômodos "sou contra" e "sou a favor". Sempre seguindo orientações técnicas e científicas disponíveis, independente de convicções ideológicas, faremos nosso trabalho com o dever de apontar os desafios econômicos e sociais que envolvem a realização (ou não) da festa mais popular do Brasil, elencando possíveis soluções.

Vereador Marco Aurélio Filho - Presidente da Comissão
Vereador Alcides Cardoso - Vice-presidente da Comissão
Vereador Tadeu Calheiros
Vereadora Ana Lúcia
Vereador Marcos Di Bria Jr
Vereador Chico Kiko
Vereador Ivan Moraes

Comentários

Últimas notícias