Blog O Viral
O Viral

Se tem um repórter que não vive sem pauta, é o Viral. De notícias curiosas às novidades do seu seriado ou filme favorito, tá tudo aqui.

VER PERFIL
ERRO MÉDICO

Cirurgião amputa perna errada de paciente e paga multa de R$ 17 mil

Por causa do erro médico, o paciente acabou ficando sem os dois membros inferiores

Maria Luísa Fernandes
Cadastrado por
Maria Luísa Fernandes
Publicado em 03/12/2021 às 11:42 | Atualizado em 03/12/2021 às 12:17
Reprodução/Pixabay (imagem ilustrativa)
Médico amputa perna errada de idoso durante cirurgia - FOTO: Reprodução/Pixabay (imagem ilustrativa)
Leitura:

Um erro médico, que ocasionou a um idoso de 84 anos a perda das duas pernas, acabou nos tribunais. O paciente, que não teve seu nome divulgado, precisava amputar seu membro inferior esquerdo por riscos à sua saúde. Mas, durante a preparação da cirurgia, o médico responsável por realizar o processo acabou marcando a perna errada. 

Durante o procedimento, ninguém havia reparado no erro, mas depois de dois dias, durante a troca dos curativos, as enfermeiras acabaram descobrindo que o médico havia amputado a perna errada. Como consequência, o idoso teve que passar por mais uma operação, tendo que amputar a outra perna. 

O caso aconteceu em maio de 2020. O médico que realizou o procedimento foi denunciado por "lesão corporal por negligência grosseira em circunstâncias particularmente perigosas". A condenação só aconteceu na última quarta-feira (1°), mas o idoso acabou morrendo antes do processo ser concluído. 

Consequências

O cirurgião, que já não trabalha mais no hospital, precisou pagar uma multa de R$ 17 mil de indenização. O Hospital Klinikum Freistadt chegou a classificar o incidente como "uma consequência de circunstâncias infelizes". O diretor do local também chegou a fazer um pedido de desculpas publicamente para a vítima. No tribunal, quando o juiz fez um questionamento ao médico sobre o motivo dele ter marcado a perna direita e não a esquerda, ele somente disse: "Não sei". O caso aconteceu na Áustria.

Informações: Portal Correio Braziliense e Extra.

Comentários

Últimas notícias