GOIÁS

Policiais relataram ter atirado 125 vezes contra Lázaro Barbosa, o 'serial killer de Brasília'

De acordo com a Secretaria de Saúde de Águas Lindas, Lázaro foi atingido com pelo menos 38 tiros, mas só a perícia vai poder confirmar

Larissa Lira
Larissa Lira
Publicado em 29/06/2021 às 0:00
Notícia
REPRODUÇÃO/TV
Policiais comemoram fim da caçada - FOTO: REPRODUÇÃO/TV
Leitura:

Com informações do G1 Goiás

Após 20 dias de buscas, nesta segunda-feira (28), o foragido Lázaro Barbosa foi encontrado e morto durante operação policial. De acordo com o boletim de ocorrência, os policiais disseram ter atirado 125 vezes durante a ação para prender o "serial killer de Brasília", como era conhecido o suspeito da cachina de quatro pessoas da mesma família, em Ceilândia.

De acordo com a Secretaria de Saúde de Águas Lindas, 38 tiros atingiram Lázaro. A informação será confirmada após a perícia do corpo do suspeito. O secretário de segurança pública de Goiás, Rodney Miranda, afirmou que Lázaro ameaçou atirar "na cara dos policiais" que faziam parte da força-tarefa. Ele ainda conseguiu atirar seis vezes. Além da arma, foram encontrados R$ 4.400 com o suspeito.

De acordo com o relato da Polícia Militar, os tiros foram efetuados pelas pistolas Sig Sauer calibre 9mm, Taurus calibre 9 mm e um fuzil calibre .556.

Buscas 

As buscas por Lázaro duraram 20 dias. Durante esse tempo, o suspeito invadiu ao menos 11 fazendas, baleou moradores, dois policiais militares e um oficial da Força Aérea Brasileira (FAB).

Linhas de investigação

A polícia trabalha com diversas linhas de investigação e, no momento, há oito inquéritos abertos contra Lázaro. Uma delas é de que o suspeito teria contado com a ajuda da ex-mulher e da ex-sogra para fugir do cerco policial.

Para a polícia, o fazendeiro preso, suspeito de dar guarida ao foragido, é "um dos principais partícipes dessa organização".

"Temos a linha de investigação que fala sobre a ajuda de Lázaro dada pela ex-mulher e ex-sogra, não sabemos se o fazendeiro é o chefe", disse o secretário de segurança.


SERGIO LIMA / AFP
OPERAÇÃO Familiares disseram que se dispuseram a fazer Lázaro se entregar, mas não foram ouvidos - FOTO:SERGIO LIMA / AFP

Comentários

Últimas notícias