levantamento

Em novo recorde, adesão de vacina contra a covid-19 chega a 94%, diz Datafolha

O levantamento ouviu 2.074 pessoas, com idade a partir de 16 anos, em 146 cidades brasileiras na quarta (7) e quinta-feira (8)

Bruna Oliveira
Bruna Oliveira
Publicado em 13/07/2021 às 17:38
Notícia
Ikamahã/Secretaria de Saúde do Recife
Ampliação da vacinação contra covid-19 por faixa etária deve ser realizada após chegada de novas doses - FOTO: Ikamahã/Secretaria de Saúde do Recife
Leitura:

Com informações da Folha de S.Paulo

Uma pesquisa do Datafolha aponta que a adesão às vacinas contra a covid-19 atingiu nível recorde no Brasil. Dessa forma, 94% da população é a favor da vacinação. O levantamento ouviu 2.074 pessoas, com idade a partir de 16 anos, em 146 cidades brasileiras na quarta (7) e quinta-feira (8). A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Dos entrevistados, 56% afirmaram já terem sido vacinados contra doença, enquanto 38% disseram que pretendem se imunizar. Já 5% disseram que não foram e nem pretendem, enquanto 1% respondeu que não sabe. 

O número de quem disse já ter tomado as duas doses ficou em 17% e de quem tomou dose única em 2%, enquanto 37% ainda aguardam a data para completar a imunização. Além disso, a pesquisa aponta que 1% dos brasileiros que não se vacinaram por não ter a marca da vacina que eles queriam. A maioria  (33%) dos que pretendem se vacinar, mas não o fizeram, aguarda a sua data.

A "escolha" da marca da vacina para imunização tornou-se, infelizmente, uma prática comum no Brasil, desde o início da campanha contra a covid-19, mesmo após o País registrar mais de meio milhão de mortes pela doença. Atualmente, são aplicados quatro imunizantes no Brasil: Coronavac, AstraZeneca, Pfizer e Janssen.

Por causa disto, as pessoas que querem escolher qual vacina tomar estão sendo chamadas, pejorativamente, de "sommelier de vacina". Sommelier é o nome dado ao profissional responsável pela carta de bebidas em bares ou restaurantes, como vinhos, por exemplo.

Para combater a prática, vários municípios e estados brasileiros têm adotado medidas como a do Recife. Em São Bernardo do Campo (SP), por exemplo, a prefeitura determinou que quem se recusar a receber a vacina disponível no posto irá para o final da fila de imunização. Já no Recife, as pessoas que se recusarem a receber um determinado imunizante no momento da vacinação ficarão 60 dias sem poder efetivar a marcação no sistema de agendamento para tomar a vacina.

 

Comentários

Últimas notícias