BRUTALIDADE

Procuradora é agredida brutalmente por colega de trabalho dentro de prefeitura

A agressão teria sido motivada pela abertura de um processo administrativo

JC
Cadastrado por
JC
Publicado em 21/06/2022 às 20:36 | Atualizado em 21/06/2022 às 21:05
REPRODUÇÃO DE VÍDEO
Procuradora é agredida brutalmente por colega de trabalho - FOTO: REPRODUÇÃO DE VÍDEO
Leitura:

Com informações do G1

Uma cena chocante e covarde. A procuradora-geral do município de Registro, no interior de São Paulo, Gabriela Samadello Monteiro de Barros, de 39 anos, foi agredida brutalmente com socos e chutes pelo colega de trabalho, o também procurador Demétrius Oliveira Macedo, de 34. O caso ocorreu na tarde da segunda-feira (20), dentro da prefeitura da cidade.

De acordo com o portal G1, a procuradora Gabriela Samadello teria aberto um processo administrativo contra o procurador, justamente devido ao seu comportamento no ambiente de trabalho. Ao tomar ciência do fato, Demétrius Oliveira atacou a colega, surpreendendo-a ao entrar na sala de trabalho e partindo para a agressão física e insultos contra a procuradora.

Duas outras funcionárias tentaram impedir o ataque, segurando-o, mas não conseguiram evitar que a procuradora fosse agredida e ficasse com o rosto completamente ensanguentado. O vídeo da agressão circula pelas redes sociais.

Um Boletim de Ocorrência registrando o caso foi feito no 1º Distrito Policial (DP) do município e Demétrius Oliveira Macedo vai responder pelas agressões.

Prefeitura de Registro emitiu nota sobre o caso

Através de uma nota, a Prefeitura de Registro "manifesta o mais absoluto e profundo repudio aos brutais atos de violência realizados pelo Procurador Municipal contra a servidora municipal mulher que exerce a função de Procuradora Geral do Município, fatos ocorridos na última segunda-feira (20/6)".

Em outra parte do texto, o executivo se solidaria com "a vítima e sua família recebam toda nossa solidariedade, apoio e cada palavra de conforto e acolhimento", além de informar que vai tomar as providências necessárias e já determinou de imediato que o agressor seja suspenso, nos termos do art. 179, c/c inc. III do art. 180, ambos da Lei Complementar nº 034/2008 – Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Registro, com prejuízo de seus vencimentos, a partir de 21 de junho".

Por fim, na nota, reafirmam o "compromisso com a prevenção e enfrentamento a todas as formas de violência, principalmente aquelas que vitimizam mulheres". E que "os servidores da Procuradoria Geral Municipal e da Secretaria de Negócios Jurídicos receberão todo apoio necessário, inclusive acompanhamento psicológico".

A Prefeitura de Registro ainda enfatizou que a "prática de violência é veementemente repudiada e será severamente punida pela Administração Municipal".

Comentários

Últimas notícias