paralisação

Greve no TJPE suspende audiências e casamentos

Melhores condições de trabalho e recebimento de benefícios salariais atrasados são os objetivos da paralisação

Diogo Menezes
Diogo Menezes
Publicado em 09/05/2011 às 8:40
Foto: Pricilla Buhr/JC Imagem
FOTO: Foto: Pricilla Buhr/JC Imagem
Leitura:

Os servidores do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) entram, a partir desta segunda-feira (9), em greve geral por tempo indeterminado. Com isso, audiências judiciais e casamentos civis ficam suspensos. A decisão foi tomada em assembleia do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário de Pernambuco (Sindjud-PE), Associação dos Servidores do Poder Judiciário de Pernambuco e Sindicato dos Oficiais de Justiça de Pernambuco.

Melhores condições de trabalho e recebimento de benefícios salariais atrasados são os objetivos da paralisação. Uma das questões polêmicas é o aumento na carga horária de trabalho de seis para oito horas.

A presidente do Sindjud-PE, Cristina Carvalho, considera que falta diálogo com resultados efetivos. Segundo ela, o sindicato tentou, sem êxito, negociar. "Não é nosso objetivo prejudicar a população que precisa do Judiciário. Mas não dá para continuar trabalhando nessas condições, precisamos ser radicais desta vez, já que as tentativas de diálogo anteriores falharam", avalia.

O presidente do TJPE, desembargador José Fernandes de Lemos lembrou que, em abril, os servidores receberam uma proposta de melhorias - o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) - e não entende o porquê da categoria ter rejeitado a proposta. Ele destaca ainda que a ampliação da jornada de trabalho vai agilizar as decisões do tribunal. "Quem ganha com esse aumento é o usuário, as pessoas que tem pendências com a Justiça", observa.

O sindicato afirma que não houve diálogo com os servidores para decidir em que condições se dará essa extensão na carga de trabalho. Os servidores cobram que o aumento de trabalho venha acompanhado de mais benefícios.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias