REVOLTA

Alunos de professora assassinada fazem protesto em Olinda

Com apitos e faixas pedindo Justiça, os alunos também relembraram como era o convívio com a professora

Fábio Jardelino
Fábio Jardelino
Publicado em 13/12/2011 às 16:29
Foto: Carlos Eduardo/ Especial para o JC
Com apitos e faixas pedindo Justiça, os alunos também relembraram como era o convívio com a professora - FOTO: Foto: Carlos Eduardo/ Especial para o JC
Leitura:

A tristeza dos alunos da Escola Argentina Castello Branco, em Olinda, pela perda da professora Izaelma Cavalcante Tavares, 36 anos, se traduziu em protesto na tarde desta terça-feira (13). Um grupo de vinte estudantes se reuniu em frente à unidade de ensino, que fica na PE-15, para pedir providências da polícia em relação à prisão do ex-companheiro da vítima e principal suspeito de matá-la, o comissário da Polícia Civil Eduardo Moura Mendes, 50.

Com apitos e faixas pedindo Justiça, os alunos também relembraram como era o convívio com Izaelma, que dava aulas de português e inglês na escola. “Ela era uma ótima professora. Incrível. Sempre conversava com a gente, dando muita força para que nós sempre lutássemos pelos nossos sonhos”, afirmou a estudante Geisiane de Freitas, 15.

Izaelma foi atingida por cinco tiros no último dia 3. A ambulância do Corpo de Bombeiros que socorria ela capotou. A professora ficou internada no Hospital da Restauração até o último fim de semana, quando faleceu em decorrência dos ferimentos. O filho dela, de 5 anos, foi levado pelo suspeito, que permanece foragido. A Justiça já expediu mandado de prisão contra Eduardo Moura Mendes.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias