Morre freira que diz ter visto Virgem em Pesqueira

Irmã Adélia estava internada havia 18 dias no Hospital Português para tratar de problemas respiratórios

Da Editoria de Cidades
Da Editoria de Cidades
Publicado em 14/10/2013 às 18:32
Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem
Irmã Adélia estava internada havia 18 dias no Hospital Português para tratar de problemas respiratórios - FOTO: Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem
Leitura:

A igreja do Colégio Damas, no bairro das Graças, na Zona Norte do Recife, ficou lotada na tarde desta segunda-feira (14) para a missa de corpo presente da irmã Adélia. A freira foi uma das três crianças que teriam visto Nossa Senhora, no distrito de Cimbres, na cidade de Pesqueira, Agreste do Estado. A missa foi presidida pelo arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido. Irmã Adélia estava internada havia 18 dias no Hospital Português para tratar de problemas respiratórios. Mas, no domingo à noite, não resistiu e morreu, aos 91 anos, de falência múltipla dos órgãos. O corpo da freira foi enterrado no final da tarde de ontem, no Cemitério de Santo Amaro.

Maria da Luz Teixeira de Carvalho, nome de batismo da freira, ingressou no Instituto das Religiosas da Instrução Cristã, no colégio Damas em 1940 e, seis anos mais tarde, tornou-se freira. Trabalhou em congregações de Nazaré da Mata, Vitória de Santo Antão, Itamaracá e no Recife. Na capital pernambucana, atuou na evangelização de comunidades carentes. No ano de 1999, a religiosa publicou um livro, onde narrou a história da aparição de Nossa Senhora, em Cimbres.
Irma
Várias pessoas que acompanharam a trajetória da freira estiveram na celebração. Muitos atribuem à Irmã Adélia a recuperação de saúde, principalmente de crianças. A comerciante Anita Trindade, 50 anos, foi despedir-se da freira. Ela afirma que seu marido, que atualmente tem 50 anos, foi curado após receber uma visita da freira. “Ele estava desacreditado pelos médicos, com uma pancreatite. Irmã Adélia foi até o hospital e lhe levou um chá preparado com uma pedra de um rio de Cimbres, próximo ao local da aparição. Em dois meses, ele estava completamente curado”, disse.

“Depois de seu falecimento, tomamos conhecimento de muitas coisas que Deus fez através dela”, disse o arcebispo Dom Fernando Saburido. Segundo o religioso, o processo de beatificação só pode ser iniciado após cinco anos do falecimento. “Não estamos pensando nisso ainda, é muito cedo. É uma coisa que futuramente poderá ser pensada”, completou.

A cantora Elba Ramalho veio do Rio de Janeiro, onde mora, especialmente para se despedir da irmã Adélia. “Sou uma estudiosa das aparições de Nossa Senhora, e quando soube do caso de Cimbres, procurei irmã Adélia. Começamos uma amizade que durou mais de dez anos. Ela me ajudou em muitos momentos, principalmente quando descobri um câncer de mama”, afirmou a cantora.

Últimas notícias