Zona Norte

Em iniciativa pioneira, moradores de Casa Amarela criam Plano Diretor do bairro

Projeto que será levado à Câmara estabelece limites para o crescimento do bairro e enumera demandas urgentes

Luiza Freitas
Luiza Freitas
Publicado em 09/05/2014 às 10:29
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Projeto que será levado à Câmara estabelece limites para o crescimento do bairro e enumera demandas urgentes - FOTO: Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Leitura:

Viver em um lugar arborizado, com calçadas conservadas e acessíveis, faixas exclusivas para bicicletas e ônibus, controle imobiliário e espaços públicos com opções gratuitas de lazer e cultura. Esse é um sonho que vem sendo compartilhado por recifenses, pernambucanos e brasileiros. Em Casa Amarela, bairro da Zona Norte da capital pernambucana, moradores decidiram torná-lo realidade. Em uma iniciativa pioneira (só há registro de algo parecido no interior de São Paulo), associações de moradores, comerciantes, artistas, igreja e organizações da sociedade civil elaboraram uma proposta de Plano Diretor para o bairro. A ideia é levá-lo à Câmara de Vereadores. Uma vez aprovado, a administração municipal será obrigada a respeitar o esboço de um espaço com mais qualidade de vida.

O projeto de iniciativa popular está pronto, mas, para ser levado à Câmara, precisa de 5.500 assinaturas de moradores, que já começarão a ser recolhidas amanhã. “Sendo aprovado pelos vereadores, na prática, o Plano Diretor coloca prazos para o Executivo municipal cumprir o que estamos pedindo”, diz Vandson Holanda, coordenador da Pastoral da Saúde de Casa Amarela, onde são realizadas as reuniões dos moradores do bairro. O projeto pede de forma genérica melhorias urbanísticas, incentivo a pequenas empresas, preservação do patrimônio histórico e ambiental e incentivo à cultura e educação.

As propostas específicas que serão apresentadas à prefeitura para atender as demandas ainda estão sendo debatidas. “Temos algumas prioridades, mas elas ainda não estão amarradas. Vamos ouvir mais a população, queremos tornar esse debate totalmente participativo”, explica Vandson, que administra o grupo Casa Amarela Saudável e Sustentável no Facebook, outro canal de debates.

Entre as propostas está a criação de uma faixa exclusiva para ônibus na Avenida Norte e ciclofaixas ligando a Avenida José dos Anjos à Estrada do Arraial. A Rua Padre Lemos, uma das principais do bairro, seria transformada em alameda, de uso restrito de transporte público e bicicleta e arborizada. “O entorno do Mercado de Casa Amarela é o coração do comércio do bairro. Estamos perdendo cada vez mais clientes para os supermercados, que oferecem mais conforto”, lamenta Nilton César, presidente da associação dos locatários do mercado. 

Leia mais no Jornal do Commercio desta sexta-feira

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias