defesa animal

Marcha da defesa animal reivindica aumento de pena por maus tratos

Evento vai acontecer simultaneamente em mais de 60 cidades brasileiros

Da editoria de Cidades
Da editoria de Cidades
Publicado em 23/04/2015 às 8:00
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Evento vai acontecer simultaneamente em mais de 60 cidades brasileiros - FOTO: Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

Ativistas da causa animal de todo o País se preparam para mais uma edição da Marcha da Defesa Animal, que acontece no próximo domingo (26). O evento ocorrerá simultaneamente em mais de 60 cidades brasileiras e tem como objetivo cobrar o aumento da pena por maus tratos aos bichos, além de pedir às autoridades a castração como política pública de controle populacional de animais. No Recife, a manifestação acontece às 14h, no terceiro jardim da Avenida Boa Viagem, na Zona Sul da capital pernambucana.

A marcha é realizada desde de 2013 e reúne centenas de protetores, associações, organizações não-governamentais (ONGs) e projetos de defesa animal. O ato é organizado pela ativista Nelma Lobo, da cidade de São Paulo. Em Pernambuco, a iniciativa conta com o apoio da Fundação Dentinho. “Essa manifestação é uma forma de chamar a atenção da sociedade para a questão da violência contra os animais, que ainda é tratada como um crime de menor potencial ofensivo, com pena revertida em serviço comunitário. Isso precisa mudar”, explica a coordenadora da ONG, Goretti Queiroz.

Pelo menos 60 cidades brasileiras já confirmaram participação no ato, entre elas Rio Branco-AC, Santos-SP, Fortaleza-CE, Belém-PA, Foz do Iguaçu-PR, Goiânia-GO, Manaus-AM, Natal-RN, Rio de Janeiro-RJ e São Paulo-SP. Na capital pernambucana, a concentração da marcha começa por volta das 14h, na altura do terceiro jardim. Às 15h, os defensores seguem em direção ao primeiro jardim, onde será finalizada a manifestação. Durante a passeata, haverá ações de conscientização, com cartazes e faixas alertando sobre os crimes e crueldades cometidos contra animais. Quem quiser participar pode ir trajando uma camisa branca em alusão à paz, no entanto, o uso do adereço não é obrigatório.

“A causa animal não é só uma questão de respeito com os bichos, mas de segurança pública e de saúde. Somente com atos de conscientização como este podemos conseguir a transformação do pensamento das pessoas em relação ao tema”, avalia Goretti Queiroz.

Últimas notícias