URBANISMO

Muros e barracos ganham colorido do grafite no Pina

Intervenção promovida pelo Coletivo Pão e Tinta reuniu artistas para desenhar os muros do Cabanga e da Compesa, além de paredes da Comunidade do Bode

da editoria de Cidades
da editoria de Cidades
Publicado em 10/09/2017 às 15:15
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
FOTO: Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Leitura:

Desde o início da manhã deste domingo, quem passa pelas Pontes Paulo Guerra e do Pina, vias de entrada e saída da Zona Sul do Recife, vê dezenas de artistas desenhando grafites nos muros do Cabanga Iate Clube e da Compesa. A intervenção deve durar até o final da tarde e faz parte do 6º Encontro Internacional de Artes Pão e Tinta. O evento, promovido pelo Coletivo Pão e Tinta, reúne artistas nacionais e internacionais desde a última quinta-feira (07). Além de grafitar esses dois imóveis, o coletivo desenhou e coloriu paredes, barracos, becos e muros da Comunidade do Bode, no Pina.

"Acreditamos que a arte deve estar em todo lugar. Há seis anos levamos o grafite para o Bode e o resultado tem sido muito bom. Este ano foram cerca de 80 artistas, de vários Estados brasileiros, e de fora do País", explica o organizador do evento, Stilo Santos. Dalvam de Jesus, 26 anos, que assina Dalvam Dext, é do coletivo Família Laboratório da Arte, de Aracaju (SE). Veio com outros nove artistas participar do encontro.

Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Barracos da comunidade do Bode ganharam cores e desenhos - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Maria de Lourdes Albuquerque gostou de ter seu barraco pintado por grafites - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Intervenção deu cara nova à Comunidade do Bode - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Barracos antes sem cor agora estão de cara nova - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Coletivo Família Laboratório da Arte, de Aracaju (SE), pintou um grande mural no Bode - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Moradores liberaram paredes de suas casas para serem grafitadas - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Coletivo Família Laboratório da Arte, de Aracaju (SE), pintou um grande mural no Bode - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Coletivo Família Laboratório da Arte, de Aracaju (SE), pintou um grande mural no Bode - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Artistas se reuniram para grafitar muros do Cabanga Iate Clube e de uma estação da Compesa - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

O grupo dele pintou um muro de 10 metros de comprimento por cinco de altura num dos becos do Bode. "Pintamos tarjas pretas para mostrar o isolamento da comunidade. Depois colocamos várias figuras, cada artista escolheu o que desenhar. Eu fiz um caranguejo pois moro em Aracaju. A cidade foi criada em cima de um mangue", diz Dalvam.

Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Barracos da comunidade do Bode ganharam cores e desenhos - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Maria de Lourdes Albuquerque gostou de ter seu barraco pintado por grafites - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Intervenção deu cara nova à Comunidade do Bode - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Barracos antes sem cor agora estão de cara nova - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Coletivo Família Laboratório da Arte, de Aracaju (SE), pintou um grande mural no Bode - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Moradores liberaram paredes de suas casas para serem grafitadas - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Coletivo Família Laboratório da Arte, de Aracaju (SE), pintou um grande mural no Bode - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Coletivo Família Laboratório da Arte, de Aracaju (SE), pintou um grande mural no Bode - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Artistas se reuniram para grafitar muros do Cabanga Iate Clube e de uma estação da Compesa - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

Ex-morador do Bode, Marcos Aurélio de Lima, 39, o Lelo Boy, deixou sua marca em pelo menos três paredes da comunidade. "Desde que comecei a grafitar desejava fazer isso. Mas nem sempre as pessoas aceitam. Há seis anos, desde que a o Pão e Tinta começou, a mentalidade dos moradores vem mudando. Fico feliz em poder colorir e modificar o lugar que nasci e que frequento até hoje", comenta Lelo.

O evento conta com apoio da Prefeitura do Recife, por meio do projeto Colorindo o Recife, que incentiva a arte urbana na cidade. Criado em 2014, já soma 16 muros estampados com grafites, em parceria com a ONG Cores do Amanhã.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias