APOIO

Fazenda Esperança, 1ª do Grande Recife, é inaugurada nesta 5ª feira

Espaço para tratar jovens dependentes químicos funcionará em Jaboatão dos Guararapes. Doações são bem-vindas

da editoria de Cidades
da editoria de Cidades
Publicado em 01/03/2018 às 8:46
Foto: Divulgação Arquidiocese
Espaço para tratar jovens dependentes químicos funcionará em Jaboatão dos Guararapes. Doações são bem-vindas - FOTO: Foto: Divulgação Arquidiocese
Leitura:

Jovens carentes que desejam se livrar da dependência química contam, a partir de quinta-feira (dia 1), com mais uma unidade da Fazenda Esperança. Mantido pela Arquidocese de Olinda e Recife, o novo espaço, batizado de Padre Antônio Henrique, funcionará no distrito de Muribequinha, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. Começa com o desafio de arrecadar recursos para concluir a obra. Tem capacidade para receber 54 rapazes, mas inicialmente só abrigará 18. Falta cerca de R$ 1 milhão para terminar os serviços pendentes.

A inauguração, às 9h, contará com o arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, que idealizou a implantação do espaço no Grande Recife. No domingo, o sacerdote voltará à fazenda para celebrar uma missa, às 11h. “Construímos três casas. Cada uma pode acolher 18 jovens. Mas somente uma está finalizada. As outras duas estão apenas com as paredes levantadas. Precisamos fazer os acabamentos, pintura, partes elétrica e hidráulica”, explica o coordenador da Fazenda Esperança, Edson André Ramos.

A construção da fazenda foi possível a partir de doações. Profissionais se dispuseram a ajudar. Padres como Reginaldo Manzotti lideraram campanhas para que católicos doassem recursos. “O andamento dos trabalhos depende muito do ritmo das doações, por isso continuamos pedindo a ajuda dos fiéis para essa obra tão importante de nossa Igreja”, destaca dom Fernando Saburido. Quando era bispo de Sobral, no Ceará, antes de assumir a Arquidiocese de Olinda e Recife, ele implantou a Fazenda da Esperança São Bento, naquele município.

Além da primeira casa, ficaram prontas uma capela e um refeitório com cozinha central. “Entregamos à Providência, para nos ajudar a terminar as obras. Empresários estão convidados a serem padrinhos da esperança. Qualquer ajuda é bem-vinda”, diz Edson André Ramos. Os jovens não pagam pela internação. O atendimento é gratuito e tem que ser voluntário.

FORMAÇÃO

Os rapazes participam de cursos e aprendem a fazer pães, biscoitos, peças de artesanato, sabonetes líquidos, desinfetantes. Também a cuidar da terra e a produzir mudas. Cada família recebe uma cesta desses produtos para vender e assim contribuir com a manutenção do espaço. Cada interno permanece cerca de um ano.

“Foi assinado um convênio com a Universidade Federal Rural de Pernambuco para que os jovens participem de cursos de panificação, agropecuária e derivados do leite ministrados pela instituição”, relata o coordenador da fazenda.

Em Pernambuco, existem outras três Fazendas da Esperança, todas no Agreste: duas em Garanhuns, mantidas pela Diocese de Garanhuns, e uma em São Joaquim do Monte, sob responsabilidade da Diocese de Caruaru. A ação é reconhecida pelo Vaticano e está presente em 15 países, entre eles Argentina, México, Alemanha e Filipinas. São mais de cem unidades tratando milhares de jovens. No Brasil, o projeto possui 77 unidades.

Doações no Banco do Brasil. Agência 2805-3, conta-corrente 132.892-1 ou agência 0934-2, conta-corrente 73.314-8. O CNPJ é 09756859/0001-08.

Últimas notícias