BRAÇOS CRUZADOS

Vigilantes do HR paralisam as atividades por tempo indeterminado

Os profissionais afirmam que há dois meses os salários estão atrasasos e há cinco não recebem vale-refeição

JC Online
JC Online
Publicado em 10/01/2019 às 8:41
Mário Oliveira/TV Jornal
Os profissionais afirmam que há dois meses os salários estão atrasasos e há cinco não recebem vale-refeição - FOTO: Mário Oliveira/TV Jornal
Leitura:

Vigilantes do Hospital da Restauração (HR), no Derby, área central do Recife, paralisaram as atividades por tempo indeterminado na manhã desta quinta-feira (10). Os profissionais afirmam que há dois meses os salários estão atrasados e há cinco não recebem vale-refeição.

Segundo o vigilante Silva, líder do movimento paredista, a Xerife Vigilância, empresa responsável pela segurança do HR, maior hospital de Pernambuco, também tem atrasado o seguro de vida dos profissionais. Além disso, o curso de reciclagem obrigatório para a categoria estaria atrasado.

Tempo indeterminado

Silva ainda informou que os profissionais só voltarão aos seus postos após o pagamento dos salários e vales-refeição. "A gente só volta com o dinheiro na conta. Esse negócio de conversa, que vai pagar tal dia, não paga dívida", disse Silva. Com os vigilantes de braços cruzados, a segurança do HR ficará desguarnecida.

Por meio de nota, a Secretaria de Saúde de Pernambuco afirmou que tem cumprido com os repasses financeiros à Xerife Vigilância, porém como a empresa não comprovou o pagamento das obrigações trabalhistas aos seus funcionários, a Secretaria fica impedida legalmente de fazer novos repasses. Confira a nota na íntegra:

 A Secretaria Estadual de Saúde (SES) informa que tem cumprido com os repasses financeiros à empresa responsável pelos vigilantes do Hospital da Restauração (HR). Contudo, como a mesma não comprovou o pagamento das obrigações trabalhistas aos seus funcionários, a SES fica impedida legalmente de fazer novos repasses. A Secretaria Estadual de Saúde reitera que aguarda a documentação da Xerife para dar continuidade aos pagamentos.

A SES informa, ainda, que a situação tem sido acompanhada pelo Ministério do Trabalho e que já vem atuando para abertura de processo para aplicação das devidas penalidades à empresa com o intuito de resolver a situação e garantir os direitos dos vigilantes.

A reportagem entrou em contato com a Xerife Vigilância, mas até o momento não obteve retorno.

Últimas notícias