RELIGIÃO

''Parem de fuxicos'', diz padre Reginaldo Manzotti no Evangelizar é Preciso

Evento realizado na Praia do Pina, Zona Sul do Recife, reuniu milhares de católicos neste sábado

Da editoria de Cidades
Da editoria de Cidades
Publicado em 30/03/2019 às 21:00
Foto: Bobby Fabisak/ JC Imagem
Evento realizado na Praia do Pina, Zona Sul do Recife, reuniu milhares de católicos neste sábado - FOTO: Foto: Bobby Fabisak/ JC Imagem
Leitura:

Parar de fazer fofocas, de deixar os filhos com celulares, de ver novelas. Em vez disso, voltar-se para a Igreja, para o diálogo, para orações. Esses foram alguns dos conselhos que o padre Reginaldo Manzotti deu a milhares de católicos que estiveram neste sábado no evento Evangelizar é Preciso, na Praia do Pina, Zona Sul do Recife. Sem citar nomes, o sacerdote também cobrou mais empenho de políticos para desenvolverem ações voltadas para o povo, aproveitando o tema da Campanha da Fraternidade deste ano, Fraternidade e Políticas Públicas.

“Estamos vivendo uma crise de infantilidade. Ô povo fuxiqueiro da peste! O maior problema do padre é administrar fofoca de quem não tem o que fazer. É muito tempo gasto com bobagens, muito xingamento dentro de casa. Tenho vontade de colocar água benta com criolina na entrada das igrejas", brincou o sacerdote.

"Os pais devem tirar os celulares das mãos dos filhos. Devem fazer as tarefas da escola com eles. Quem não se assusta com as histórias da Baleia Azul, da boneca Momo, frutos de mentes diabólicas?”, comentou o padre, sendo aplaudido pelo público.

“Que caiam as muralhas da corrupção, da mentira, da ganância, do consumismo. Faltam políticas públicas na saúde, na educação. Eles (os governantes) foram eleitos pelo povo. A gente liga a televisão e não vê planejamento a longo prazo. Tomara que os políticos caiam na mãos de Deus”, ressaltou padre Reginaldo, que pediu também mais engajamento dos católicos na resolução dos problemas das comunidades em que vivem.

"A Igreja precisa rezar. Temos que clamar para que o Espírito Santo nos defenda dos ataques de fora. Nós, católicos, precisamos nos unir. Temos que quebrar as muralhas do comodismo. Larguem a novela O Sétimo Guardião e vão rezar o terço, vão fazer a Via Sacra", recomendou o religioso. "Parem de achar que tudo tem que cair do céu. Deus te ama quando também te faz passar por provações."

SANTA

O tema do evento foi “As muralhas vão cair”. Teve início ao meio-dia, com um terço mariano. Os padres Sérgio Bedin e João Carlos também participaram conduzindo cânticos e orações. Às 17h houve uma missa presidida pelo arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido. Quando a cerimônia estava perto de terminar, começou a chover. Mesmo assim, o público seguiu firme até um dos momentos mais esperados, o show de encerramento com padre Reginaldo Manzotti, às 20h.

Quem comprou camisas do evento contribuiu para manutenção do santuário dedicado a Nossa Senhora Aparecida, em Jussaral, no Cabo de Santo Agostinho, Grande Recife. A ideia é construir uma imagem de 45 metros da santa.

Últimas notícias