Trânsito

Lupércio culpa o uso de carros por congestionamento no Carnaval de Olinda

Segundo o Prefeito, foliões que insistiram em ir de carro para o Carnaval da cidade prejudicaram o trânsito

Adige Silva
Adige Silva
Publicado em 07/03/2019 às 13:26
Foto: Luiz Pessoa/JC Imagem
Segundo o Prefeito, foliões que insistiram em ir de carro para o Carnaval da cidade prejudicaram o trânsito - FOTO: Foto: Luiz Pessoa/JC Imagem
Leitura:

O Prefeito da Cidade de Olinda, Professor Lupércio, afirmou que a culpa pelo trânsito lento durante o Carnaval é dos foliões que “insistiram em tirar os carros das garagens”. Em entrevista coletiva, realizada nesta quinta-feira (7), na sede da Prefeitura, o gestor disse que, apesar do investimento em mobilidade, o tráfego ficou congestionado por foliões irem aos polos carnavalescos da cidade com veículos particulares.

“O esforço foi muito grande, mas infelizmente ainda faltam algumas pessoas se conscientizarem e deixarem seus carros em casa, para que possa fluir melhor o trânsito da nossa cidade”, criticou o Prefeito.

De acordo com ele, a Prefeitura se empenhou em estimular as pessoas a usaram o transporte público, táxis ou aplicativos de transportes particulares, o que não aconteceu, culminando em engarrafamentos quilométricos.

Reclamações

Durante o período carnavalesco, foliões se queixaram dos enormes engarrafamentos para chegar e sair da Cidade Histórica. Segundo relatos, o congestionamento ia até o giradouro de Olinda, na Avenida Pan Nordestina. Para quem voltava pela Avenida Olinda, a lentidão se estendia até às proximidades do Igreja de Santa Teresa, em bairro homônimo.

Mototáxi virou alternativa

Com rapidez, possibilidade de andar pelo corredor dos carros e preços mais baratos que o Uber, o serviço de Mototáxi foi muito utilizado pelos foliões. Apesar de o serviço não ser regulamentado na cidade, os mototaxistas andavam uniformizados com coletes e números de telefone estampados.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias