rotina de problemas

Metrô do Recife amanhece com problema e estações são fechadas

Por volta das 6h, Linha Sul voltou a funcionar, mas estações da Linha Centro sequer abriram

Elton Ponce
Elton Ponce
Publicado em 15/01/2020 às 6:10
Notícia
Foto: Bruno Campos/JC Imagem
FOTO: Foto: Bruno Campos/JC Imagem
Leitura:

Atualizada às 14h04

A manhã desta quarta-feira (15) foi de transtorno para os cerca de 400 mil passageiros que utilizam os dois ramais do metrô do Recife. Isso porque um problema nos fios na altura da estação Joana Bezerra, no Centro do Recife, do sistema fez com que a circulação de trens parasse completamente nas linhas Centro e Sul. Na Linha Sul, as composições voltaram a funcionar por volta das 6h. Por causa do problema, o Grande Recife Consórcio de Transporte montou um plano de contingência para atender os usuários que ficaram sem opção de transporte. 

Sistema foi normalizado no início da tarde.

Leia mais: PM vai fazer policiamento no Metrô do Recife e tentar colocar ordem no sistema

Segundo os funcionários do metrô, o que teria causado a paralisação do sistema foi um problema na rede aérea. Os passageiros que chegaram nas estações as encontraram fechadas, sem qualquer tipo de aviso, e tiveram que recorrer aos ônibus para se locomover. Foi o caso da bióloga Cláudia Eugênio, de 50 anos, que chegou à estação do Barro, na Zona Oeste do Recife, e se surpreendeu. "Eu saí de Pernambuco em 2005, mas todo ano venho passar férias aqui e pego o metrô. No ano passado a passagem era R$ 1,60 e agora vi a tristeza que está o metrô. É uma feira. Tem calcinha, roupa, prestobarba, não tem segurança. A passagem aumentou e eu fiquei tão triste em ver o metrô abandonado. Está sucateado", relatou.

Vagner Gomes, de 38 anos, que trabalha na área de T.I. aguardava um trem na estação Joana Bezerra, no Centro do Recife, quando foi abordado pela reportagem e descobriu que o metrô estava quebrado. "Não soube, estou sabendo agora. Estou indo para o trabalho e vou me atrasar, né? Isto é um absurdo e acontece com frequência. Ou ele está lento, ou ele atrasa, ou no meio do caminho ele para. É complicado. Eu acho um serviço horrível. A passagem aumentou e não vejo melhora nenhuma", acrescenta.

Sobre o convênio firmado entre o Comando da PMPE e a CBTU, que prevê a atuação de PMs no interior do sistema metroferroviário, os usuários se apresentaram descrentes de uma possível melhora em relação ao comércio irregular dentro dos vagões. Foi o caso da cabeleireira Adriana Gomes, de 46 anos. "Abrir a boca para dizer eles fazem o tempo todo, mas dentro do metrô você não pode atender um celular, não pode fazer uma ligação. As pessoas ficam gritando. Não dá para ficar sentado direito porque vem um carrinho, passa no seu pé, leva sua bolsa. É terrível e incomoda muito", disse.

O funcionário público Júnior Barbosa, de 47 anos, tem a mesma opinião. "Se colocarem polícia, tomara. Porque na segunda-feira eu estava na estação Antônio Falcão e tinham cinco pessoas fumando maconha. Eles usam drogas dentro das estações e não PM", comenta. Por meio de uma nota, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) explicou que o metrô teve um problema na fiação elétrica entre as estações Joana Bezerra e Recife. Veja a íntegra da nota enviada pelo órgão:

"A CBTU Recife informa que, após inspeção, a manutenção da Companhia concluiu que o problema foi causado pelo rompimento de um cabo da rede aérea que faz a alimentação de energia dos trens, ocorrido entre as estações Joana Bezerra e Recife, e a previsão de volta do sistema é o início da tarde desta quinta-feira (15)".

Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
A estação Joana Bezerra operou parcialmente, já que a linha Centro estava sem funcionar - Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Foto: Bruno Campos/JC Imagem
Os passageiros encontraram as estações fechadas na manhã desta quarta - Foto: Bruno Campos/JC Imagem
Foto: Bruno Campos/JC Imagem
No TI Jaboatão, os passageiros tiveram que recorrer aos ônibus e as filas ficaram longas - Foto: Bruno Campos/JC Imagem
Foto: Bruno Campos/JC Imagem
Um problema na rede aérea afetou o funcionamento das linhas Centro e Sul - Foto: Bruno Campos/JC Imagem
Foto: Bruno Campos/JC Imagem
Por volta das 6h, as estações da Linha Sul foram reabertas - Foto: Bruno Campos/JC Imagem
Foto: Bruno Campos/JC Imagem
O problema teve início na estação Joana Bezerra do metrô do Recife - Foto: Bruno Campos/JC Imagem
Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Os TIs ficaram lotados devido ao não funcionamento do metrô - Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
As estações do metrô do Recife amanheceram fechadas - Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Na estação Barro, muitos passageiros deram de cara com os portões - Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem

O metrô do Recife conta com as linhas Centro, Sul e Diesel. A linha Centro possui dois ramais (Jaboatão e Camaragibe) e 17 estações, sendo elas: Afogados, Ipiranga, Mangueira, Santa Luzia, Werneck, Barro, Tejipió, Coqueiral, Alto do Céu, Curado, Rodoviária, Cosme e Damião, Camaragibe, Cavaleiro, Floriano, Engenho Velho e Jaboatão. A linha Sul possui 10 estações, sendo elas: Largo da Paz, Imbiribeira, Antônio Falcão, Shopping, Tancredo Neves, Aeroporto, Porta Larga, Monte dos Guararapes, Prazeres e Cajueiro Seco. As estações Recife e Joana Bezerra fazem parte das duas linhas.

Plano de contingência do Grande Recife

De acordo com o Grande Recife, serão reforçadas as linhas de BRT: 2450 – TI Camaragibe (Conde da Boa Vista), 2443 – TI CDU/TI Joana Bezerra e a linha 2480 – TI Camaragibe/ Derby terá viagens alternadas para o Terminal Integrado Joana Bezerra. Além delas, também haverá reforço nas 202 – Barro/Macaxeira (Várzea) e 207 – Barro/Macaxeira (BR-101). Com elas, os passageiros poderão pegar a 2490 – TI Camaragibe/TI Macaxeira. O Grande Recife Consórcio também ativou a linha especial TI Camaragibe/TI TIP.

Linhas com reforço

BRT

2450 – TI Camaragibe (Conde da Boa Vista)

2443 – TI CDU/TI Joana Bezerra

2480 – TI Camaragibe/ Derby

Convencionais

202 – Barro/Macaxeira (Várzea)

207 – Barro/Macaxeira (BR-101)

Linha especial ativada

TI Camaragibe/TI TIP

Aumento de passagem

O penúltimo aumento escalonado na passagem do metrô do Recife aconteceu no último domingo (5). Com a tarifa custando R$ 3,40 desde o dia 3 de novembro, os usuários têm que desembolsar R$ 3,70 para acessar as plataformas. O último reajuste ocorrerá no dia 7 de março deste ano, quando o bilhete terá o valor de R$ 4,00. Os sucessivos aumentos acontecem desde maio de 2019.

Em maio de 2019, a passagem, que custava R$ 1,60, passou para R$ 2,10. O segundo reajuste ocorreu em julho, e o valor foi para R$ 2,60. Em setembro, mais um aumento e o bilhete chegou a R$ 3. Já em novembro, chegou a R$ 3,40. No dia 5 de janeiro de 2020, o valor aumentou para R$3,70. O reajuste gradativo da tarifa foi autorizado pela juíza Maria Edna Fagundes Veloso, titular da 15ª Vara Federal Cível. Na época do anúncio do aumento, o então superintendente da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), Leonardo Villar Beltrão, alegou que a medida evitará a paralisação do sistema por falta de recursos financeiros.

Veja os aumentos pelos quais a passagem do metrô passou e passará:

- 5 de maio de 2019 - R$ 2,10
- 7 de julho de 2019 - R$ 2,60
- 8 de setembro de 2019 - R$ 3,00
- 3 de novembro de 2019 - R$ 3,40
- 5 de janeiro de 2020 - R$ 3,70
- 7 de março de 2020 - R$ 4,00

Problemas constantes

Enquanto a passagem aumenta, os usuários do metrô do Recife lidam diariamente com interrupções no sistema. No dia 19 de dezembro, por exemplo, uma falha da rede área afetou o funcionamento do Ramal Jaboatão da linha Centro. O problema fez com que as estações Cavaleiro, Floriano, Engenho Velho e Jaboatão fossem fechadas por um tempo. No dia 16 de dezembro, um problema em um trem entre as estações Recife e Joana Bezerra atrasou as viagens da linha Sul, afetando, além das duas estações, a Largo da Paz e a Imbiribeira.

Também no mês passado, um vídeo mostrando quatro crianças do sexo masculino penduradas na dianteira de um metrô circulou nas redes sociais. Na gravação, feita no dia 17 de dezembro, o trem entra em movimento com os meninos ainda se segurando nas ferragens. À época, a CBTU informou que os meninos já haviam sido encaminhados para o Conselho Tutelar em outra situação. A Companhia ainda relatou que as crianças não possuem documentos e que não foi possível identificar os responsáveis.

Em dezembro, o metrô do Recife ainda registrou uma morte por atropelamento, na linha Diesel. Um adolescente foi atingido por um trem nas imediações da estação Ângelo de Souza, em Jardim Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. De acordo com a vizinhança, o menino morava na comunidade Coquinho, em Cajueiro Seco, e havia ido ao local com um amigo, sem avisar à mãe. Ele estaria tirando frutos de um cajueiro às margens da ferrovia quando foi atropelado. Moradores do local reclamam da falta de segurança para atravessar a linha férrea e ter acesso à rodovia BR-101. 

Privatização

O governo autorizou o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a contratar estudos para estruturação da concessão do serviço de transporte ferroviário de passageiros no Grande Recife e outras quatro cidades atendidas pela CBTU. A resolução, de dezembro de 2019, prevê a contratação dos estudos no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Esta foi mais uma etapa do caminho para a concessão do serviço à iniciativa privada. A CBTU, além do Recife, atua também em Belo Horizonte, João Pessoa, Natal e Maceió.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias