Campanha do Desarmamento

Campanha do Desarmamento recebe metralhadora israelense

Homem encontra armamento pesado enterrado em Olinda

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 21/07/2014 às 9:10
Foto: Polícia Federal/Divulgação
Homem encontra armamento pesado enterrado em Olinda - FOTO: Foto: Polícia Federal/Divulgação
Leitura:

A Polícia Federal de Pernambuco divulgou nesta segunda-feira o atual balanço da Campanha do Desarmamento em Pernambuco. Segundo a polícia, o recebimento de armas de fogo se encontra estável. Nesta edição, o destaque foi o recebimento de uma metralhadora de fabricação israelense da marca UZI. O armamento tem capacidade de disparar 600 tiros por minuto. Além dele foram entregues sete munições calibre 9 mm e 15 munições de calibre 40. A arma foi recebida pela PF na na sexta-feira passada, por um homem que também levou para a sede da PF duas espingardas calibre 12 com 11 munições.

A identidade do homem deve ser mantida em sigilo, como parte da política estabelecida na campanha. Segundo a PF, o cidadão avistou uma bolsa enterrada num terreno baldio de Olinda e ao desenterrar encontrou o armamento pesado. O homem recebeu uma indenização de R$ 450 pela entregar da metralhadora israelense e R$ 300 pelas duas espingardas dentro da campanha do desarmamento, totalizando a quantia de R$ 750.

Agora, a Polícia Federal iniciará uma investigação sobre os armamentos para descobrir a origem e a possível existência de organizações criminosas que estariam utilizando o armamento para a prática de crimes.Armas com esse potencial vem sendo utilizados por assaltantes de bancos. A PF trabalha com a hipótese que quadrilhas estavam usando local para esconder o armamento para futuras investidas a bancos no estado de Pernambuco.

A campanha do desarmamento em Pernambuco recolheu em 1.088 dias, de maio de 2011 a 20 de julho deste ano,  7.263 armas e 13.432 munições, o que corresponde a sete armas entregues por dia e 49 por semana e 196 por mês. Já as munições totalizam 12 entregues por dia. Também são recebidas munições armas de brinquedo, simulacros, armas artesanais ou de fabricação caseira, porém sem o pagamento de indenização. 

As armas arrecadadas na campanha do desarmamento são enviadas para o exército para que sejam destruidas. Existem casos onde o anonimato não interessa ao cidadão, como com os possuidores e proprietários de armas adquiridas legalmente e que manifestam o desejo de baixar tal registro do Sistema Nacional de Armas.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias