IGUALDADE

Bandeira LGBT é hasteada no Consulado dos EUA no Recife

O ato comemora a resolução da Suprema Corte dos EUA, que legalizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo em todo o país na última sexta-feira (26).

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 01/07/2015 às 11:33
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
O ato comemora a resolução da Suprema Corte dos EUA, que legalizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo em todo o país na última sexta-feira (26). - FOTO: Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

O Consulado Geral dos Estados Unidos no Recife, no Bairro da Boa Vista, região central da cidade, hasteou na manhã desta quarta-feira (1º) a bandeira LGBT, com as cores do arco-íris, abaixo da bandeira americana. O ato comemora a resolução da Suprema Corte dos EUA, que decidiu na última sexta-feira (26), pela legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo em todo o país. "Queremos celebrar esse evento histórico, compartilhar a alegria com os nossos amigos de Recife e também mostrar nossa solidariedade com a luta daqui", comemorou o Cônsul Geral Richard Reiter. 

Além de autoridades, também estavam presentes na cerimônia militantes dos direitos LGBT. "Eu sou mãe, tenho que cuidar da sociedade que o meu filho vai viver, eu não quero que ele seja discriminado", disse a empresária Maria do Céu, simpatizante da causa. "Essa decisão da Corte nos deu mais oxigênio".

Para Thiago Rocha, coordenador do Fórum LGBT de Pernambuco, o ato simbólico foi importante para energizar os militantes. "Vemos isso como um forte apoio para continuar lutando. Quando promovemos uma cidadania plena para um determinada minoria que sofre preconceito, a gente contribui para toda a sociedade, porque as pessoas fazem parte de uma família e de uma comunidade, então todos são beneficiados", comentou. Thiago também destaca que há cerca de 5 anos durante o período da Parada Gay o Consulado do Recife faz ações promovendo a igualdade social.

Questionado sobre a influência da decisão americana em outros países, o Cônsul Geral ressaltou positivamente a repercussão da notícia nas manchetes internacionais. "O que acontece nos Estados Unidos tem reverberação e espero que outros países sejam influenciados. Também estamos conscientes de que a luta não acabou, mas hoje os homossexuais têm menos um desafio a ser superado". A bandeira LGBT deve permanecer hasteada até o próximo sábado (4), dia em que os Estados Unidos comemora a independência.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias