I Oncos Nordeste

Médicos se reúnem em em congresso de oncologia para debater avanços

Durante três dias, o evento vai discutir o câncer e os principais avanços da medicina no diagnóstico e no tratamento da doenç

JC Online
JC Online
Publicado em 14/10/2016 às 10:52
Foto: Hugo Maranhão/Especial para o JC
Durante três dias, o evento vai discutir o câncer e os principais avanços da medicina no diagnóstico e no tratamento da doenç - FOTO: Foto: Hugo Maranhão/Especial para o JC
Leitura:

Segue até este sábado (15), no Hotel Sheraton, na Reserva do Paiva, o 1º Congresso da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica - Regional Nordeste, o I Oncos Nordeste. Durante três dias, o evento vai discutir o câncer e os principais avanços da medicina no diagnóstico e no tratamento da doença, para integralizar e atualizar os profissionais da área. São esperados mais de 350 participantes de 11 estados.

 

Na quinta (13), especialistas trocaram experiências sobre imunoterapia. “Está havendo uma mudança muito grande na oncologia nos últimos anos. Estamos vivendo a era da imunoterapia – tratamento com drogas que fazem seu próprio sistema imunológico combater o tumor. Ela tem trazido um resultado muito melhor que outros tratamentos, com menos efeitos colaterais”, detalha o doutor Eriberto Junior, presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica Regional Nordeste.

 

Sob a luz do Outubro Rosa, as palestras dos próximos dias também devem debater o câncer de mama. “Vamos dar foco ao diagnóstico precoce, que está sempre em pauta, e nos novos tratamentos”, detalha o oncologista clínico Bruno Pacheco. Ele também menciona a imunoterapia e a revolução que ela vem trazendo na medicina, mas destaca que ainda não há aplicações práticas deste tipo de tratamento no câncer de mama. “A gente tem tido muita evolução nos últimos anos, vários progressos, novas drogas, tratamentos hormonais. Estamos evoluindo bem. Mas ainda não estamos usando a imunoterapia porque ela não se mostrou adequada neste tipo específico de câncer”, menciona. “Mas hoje temos maneiras de detectar o câncer de mama até mesmo antes de ele surgir, através de testes genéticos.”

 

Na abertura, além da imunoterapia, especialistas também deram palestras sobre o tratamento do câncer em idosos. O oncogeriatra Ludovico Balducci, dos Estados Unidos, defende tratamento personalizado para idosos, que têm muito mais variáveis de saúde que o jovem: devem ser levadas em conta outras condições de saúde concomitantes, além do quadro social e físico. “Uma pessoa de 80 anos, que tenha uma expectativa de vida de mais 15 anos, pode aproveitar um tratamento. Mas um idoso na faixa dos 60 anos que tenha uma reserva funcional muito pequena talvez não seja beneficiado”, pondera.


Inscrições

 

Na sexta e no sábado, o Oncos Nordeste vai pôr em pauta ainda o câncer de pulmão, do trato gastrointestinal, próstata, bexiga e rins. Inscrições, programação e outras informações através do site www.oncosnordeste.com.br.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias