polícia

Duplo homicídio é planejado pelo WhatsApp em Jaboatão

Casal de traficantes arquitetou morte de adolescentes por quase um mês através do aplicativo

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 01/09/2014 às 15:19
Leitura:

Criado para facilitar a troca de mensagens pelo celular, o WhatsApp virou até arma para criminosos. Em Jaboatão dos Guararapes, um casal de traficantes utilizou o aplicativo para planejar o homicídio de uma adolescente, também envolvida com o tráfico de drogas. Após quase um mês de conversas, o crime foi executado neste final de semana. Luana Maria de Lavôr e a amiga Amanda Vitória Alves da Silva, ambas de 16 anos, foram espancadas e mortas com um tiro na cabeça após uma festa organizada pelos próprios assassinos.

“O crime choca pela maldade, mas principamente pela frieza com que foi planejado nos mínimos detalhes pelo Whatsapp”, comentou o delegado que está à frente das investigações, Joel Venâncio da Silva Junior, da 6ª seccional de Prazeres. Com o celular da mentora do homicídio em mãos, o delegado contou que a morte de Luana de Lavôr estava sendo arquitetada desde o dia 7 de agosto por Jéssica de Matos Azevedo, 21 anos, e um homem conhecido apenas como Rique. “As mensagens não deixam  dúvida sobre a autoria do crime. Jéssica é a grande mentora, articulou tudo para Rique matar Luana. No final, ainda comemorou e agradeceu o assassino”, revelou  Venâncio.

Luana Maria de Lavôr e Amanda Vitória Alves da Silva foram assassinadas na manhã deste domingo (31) em Cajueiro Seco, Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. Elas haviam acabado de sair de uma festa na casa de um adolescente que tinha um caso com Amanda mas havia ajudado Jéssica Azevedo a planejar a morte de Luana. As duas meninas, o adolescente, o primo dele também adolescente, um amigo de maior e Jéssica passaram toda a noite na festa, regados a bebidas, drogas e sexo. No início da manhã, o menor pediu que as meninas fossem embora antes que sua tia chegasse. Elas foram orientadas a sair pelo beco de trás da casa, onde Rique as esperava.

O homem espancou, chutou os rostos das adolescentes e depois disparou um tiro na cabeça de cada uma. Amanda faleceu na hora. Luana foi socorrida no Hospital da Restauração, área central do Recife, mas não resistiu. A polícia já prendeu Jéssica, o amigo dela e os dois menores envolvidos no crime, apenas Rique continua Foragido. A mulher foi autuada em flagrante por duplo homicídio qualificado e pode pegar de 24 a 60 anos de prisão.

Leia mais na edição impressa do Jornal do Commercio desta terça-feira (2) 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias