Zona

Homem é preso sob suspeita de ter cometido até 30 assassinatos em PE

Suspeito estava foragido desde 2012 e havia cinco mandados de prisão contra o homem

JC Online
JC Online
Publicado em 09/08/2017 às 19:23
Foto: Divulgação/PCPE
Suspeito estava foragido desde 2012 e havia cinco mandados de prisão contra o homem - FOTO: Foto: Divulgação/PCPE
Leitura:

A Polícia Civil de Pernambuco prendeu nesta quarta-feira (9) um homem de 36 anos suspeito de cometer cinco assassinatos na Zona da Mata Sul de Pernambuco. José Givanildo dos Santos estava foragido desde 2012 e foi encontrado em um sítio da cidade de Quipapá, distante 183km do Recife. Se condenado por estes crimes, a pena pode chegar a 100 anos de prisão. Os investigadores acreditam que ele pode ter até 30 assassinatos.

De acordo com as investigações, dois dos cinco homicídios foram realizados na cidade de João Alfredo, um terceiro aconteceu no Cabo de Santo Agostinho e ouros dois na capital. Contra José Givanildo havia cinco mandados de prisão pela suspeita de autoria destes crimes, mas ainda há a suspeita de que o homem tenha cometido outros assassinatos entre 2010 e 2012.

“O número de mortes de autoria dele pode chegar a 30, ele é apontado como o braço armado, o matador, de uma organização criminosa que atuava na região”, afirmou o delegado que comandou as investigações, Paulo Gustavo Gondim detalhando que todas as cinco mortes as quais José Givanildo é suspeito têm ligação com o tráfico de drogas.

As informações, de acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil estadual, foram obtidas durante a Operação Conselheiro que prendeu 29 pessoas e desarticulou uma quadrilha de traficantes em 2012.

Apreensão

Com José Givanildo, os policiais apreenderam um revólver calibre 38 e 23 munições. O suspeito será encaminhado para audiência de custódia pela autuação de porte ilegal de arma de fogo. O homem será encaminhado para o sistema prisional para o cumprimento dos mandados de prisão que recaem sobre ele.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias