FEMINICÍDIO

Empresária é morta com golpe de banco de madeira em Sairé

O suspeito de cometer o crime é o companheiro dela. Segundo a polícia, a empresária estava querendo se separar e as brigas entre o casal eram constantes

Julia Aguilera
Julia Aguilera
Publicado em 30/07/2018 às 12:22
Foto: Reprodução/ Facebook
O suspeito de cometer o crime é o companheiro dela. Segundo a polícia, a empresária estava querendo se separar e as brigas entre o casal eram constantes - FOTO: Foto: Reprodução/ Facebook
Leitura:

Uma empresária de 42 anos anos foi morta com um golpe de um banco de madeira em Sairé, no Agreste do Estado, na tarde desse domingo (29). De acordo com a Polícia Civil, o companheiro dela é o suspeito de ter cometido o crime.

A vítima, identificada como Maria Helena Barbosa da Silva, teria sido morta por João Pedro da Silva Júnior, de 39 anos. Segundo informações repassadas pelo delegado Jeová Miguel, responsável pelo caso, o casal costumava brigar bastante e a vítima estava pretendendo se separar.

O crime aconteceu na casa da filha, onde ela estava morando por causa das brigas com o marido. Ainda segundo o delegado, o casal estava em um bar durante a tarde, onde aconteceu a primeira discussão. Em seguida, a vítima seguiu para a casa da filha. Pouco depois, João Pedro chegou no local e o casal se desentendeu mais uma vez. A mãe de Maria Helena, que sabia da discussão, tentou falar com a filha ao telefone mas não conseguiu. A senhora disse ter ido até o local, mas ao chamar, ninguém abria a porta. Preocupada, a mulher arrombou o cadeado da casa, onde a filha foi encontrada morta.

Maria Helena morreu após ser golpeada com o banco. Ela teve uma abertura no crânio devido a força da pancada.

Após o crime, João Pedro teria fugido levando todas as suas roupas e pertences pessoais. A polícia acredita que a motivação do crime tenha sido ciúmes. “As investigações estão no começo, mas nós acreditamos que se trate de um feminicídio. A motivação seria ciúmes, ele era o companheiro dela e segundo informações apuradas, nunca foi violento com ela e nem agrediu, mas as brigas eram constantes”, comenta o delegado.

O suspeito ainda não foi localizado. O caso está sendo investigado na delegacia de Sairé.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias