Controle

Pernambuco reúne entidades para discutir controle da febre chikungunya

Vírus transmitido pelo mesmo mosquito da dengue já atingiu cidades da Bahia e do Amapá

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 15/10/2014 às 9:28
Foto: CHRISTOPHE SIMON / AFP
Vírus transmitido pelo mesmo mosquito da dengue já atingiu cidades da Bahia e do Amapá - FOTO: Foto: CHRISTOPHE SIMON / AFP
Leitura:

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) reúne, nesta quarta-feira (15), representantes das vigilâncias epidemológicas e ambientais dos municípios da Região Metropolitana do Recife (RMR), Zona da Mata e Agreste, para discutir ações de combate à febre chikungunya. A ação preventiva será realizada na sede da SES, no bairro do Bongi, zona oeste do Recife.

O objetivo do encontro é debater ações de controle do vírus, que é transmitido da mesma forma que a dengue, pelo mosquito Aedes aegypti. Apesar de nenhum caso autóctone, quando o vírus é transmitido no local, ter sido registrado no Estado, Pernambuco tem seis casos notificados, com apenas um confirmado. Já há casos autóctones em municípios da Bahia, de Minas Gerais e do Amapá. "É essencial que as ações sejam antecipadas e os municípios precisam participar desse debate”, explica a diretora-geral de Controle de Doenças e Agravos da SES, Roselene Hans.

O chikungunya não possui vacina, logo, o vírus é controlado através da eliminação do vetor, o mosquito. Os sintomas são semelhantes aos da dengue, com febre, dores musculares, cefaleia, náusea e fadiga. Apesar de não ser uma doença de alta letalidade, a febre tem elevada taxa de morbidade, que pode levar a incapacidade, redução de produtividade e da qualidade de vida.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias