COVID-19

Tudo que se sabe sobre os casos suspeitos de coronavírus em Pernambuco

Secretaria de Saúde do Estado investiga cinco casos suspeitos de pessoas que vieram da Itália e apresentam sintomas da doença

Marcelo Aprígio
Marcelo Aprígio
Publicado em 28/02/2020 às 7:40
Notícia
Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Secretaria de Saúde do Estado investiga cinco casos suspeitos de pessoas que vieram da Itália e apresentam sintomas da doença - FOTO: Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Leitura:

Resumo da notícia:

- Secretaria de Saúde do Estado de Pernambuco investiga cinco casos suspeitos de coronavírus;
- Pernambucana de 51 anos que veio de São Paulo para o Recife e fez conexão em Milão, na Itália;
- Pernambucano de 24 anos que mora na Itália e veio visitar a família durante Carnaval;
- Pernambucano de 32 anos que esteve recentemente na Itália e voltou para Recife dia 24/02;
- Homem de 37 anos com histórico de viagem para Itália e chegou em Pernambuco no dia 20/02. Ele está na UTI do Hospital Oswaldo Cruz;
- Mulher de 34 anos que viajou à Itália e chegou no Recife no dia 17/02.

Cinco casos suspeitos do novo coronavírus são investigados em Pernambuco, segundo número divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado, nessa quinta-feira (27, em coletiva de imprensa. A maior parte delas são pernambucanas e todas estiveram recentemente na Itália, país onde casos de contaminação pelo Covid-19 aumentaram rapidamente desde o sábado (22). No Brasil, até o momento, apenas um caso da doença foi confirmado.

» Sobe para cinco o número de casos suspeitos de coronavírus em Pernambuco

» Por conta do coronavírus, Arquidiocese de Olinda e Recife recomenda 'não dar as mãos ao rezar o Pai-Nosso'

» Brasil apresenta 132 casos suspeitos de coronavírus; cinco em Pernambuco

» Entenda as diferenças entre a gripe e a infecção pelo novo coronavírus

» Veja quando fazer uso de máscaras e álcool em gel

O perfil dos pacientes com suspeita de coronavírus

Dos três casos suspeitos divulgados na quarta-feira (26), o de um homem de 41 anos, que estava internado em um hospital particular do Recife, foi descartado. O exame testou positivo para influenza B. Dos casos divulgados nesta quinta-feira (27), um deles é o de um homem de 37 anos que está na UTI do Hospital Oswaldo Cruz por ter apresentado alteração no raio-x de tórax.

1º caso - Uma mulher pernambucana, de 51 anos, que desembarcou no Recife na tarde da última terça (25.02) em voo doméstico proveniente da Itália (país europeu com casos confirmados do vírus) com conexão em São Paulo. A paciente foi atendida ainda no Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes por equipes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para primeiro atendimento. Em seguida, ela foi levada em ambulância do Samu Recife para o Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), uma das referências estaduais para atendimento de casos suspeitos do coronavírus. Desde então, ela está no isolamento. Nesta quarta-feira (26), a paciente está com quadro de saúde estável e evoluindo bem. A mulher não apresenta mais febre nem tosse, e teve melhora considerável da dor de garganta. Ela continua sendo monitorada pela equipe do Huoc. O Laboratório Central de Saúde Pública de Pernambuco (Lacen-PE) já realizou os exames para influenza A e B, que deram negativo. O Instituto Evandro Chagas (IEC), no Pará, referência nacional, fará os testes para outros vírus respiratórios e o específico para confirmar ou descartar Covid-19.

2º caso - O homem, 24 anos, pernambucano residente na Itália, notificado nessa quarta-feira (26). Ele chegou ao Estado no último dia 14, contudo, só veio apresentar sintomas (febre, tosse, dor de garganta e dificuldade de respirar) na última terça-feira (25). O jovem procurou o Huoc nesta quarta, onde vem sendo assistido. Por uma condição de saúde pré-existente (asma), ele está sendo mantido na UTI do hospital, mas com quadro estável e sem necessidade do uso dos suportes de UTI. Já foi realizada a coleta de material do homem para as análises laboratoriais pelo Lacen-PE e IEC.

3º caso - O homem, de 32 anos, é pernambucano com histórico de viagem à Itália. Chegou nessa segunda-feira (24). O caso foi notificado nesta quinta-feira (27). Sintomas relatados: febre, dor de garganta e coriza.

4º caso - Homem, de 37 anos, com histórico de viagem para Itália. Chegou no dia 20 de fevereiro. O caso foi notificado nesta quinta-feira (27). Sintomas relatados: febre, tosse, dor de garganta e dificuldade para respirar. “Este homem de 37 anos apresentou alteração no raio-x de tórax, que pode ser complicação da infecção por coronavírus, mas também por outros vírus que levam a um comprometimento respiratório. Por este quadro, ele está na UTI do Huoc”, explicou Demetrius Montenegro, médico infectologista do Oswaldo Cruz.

5º caso - Mulher, 34 anos, com histórico de viagem para Itália. Chegou no dia 17 de fevereiro. Sintomas relatados: febre, tosse, dor de garganta e cefaleia.

Ministério da Saúde antecipa vacinação contra a gripe 

Um dia após a confirmação do primeiro caso de coronavírus no Brasil, o Ministério da Saúde anunciou que irá antecipar a campanha nacional de vacinação contra a gripe para o dia 23 de março. Segundo o ministro Luiz Henrique Mandetta, essa ação ocorrerá 23 dias antes do previsto. A confirmação foi dada nesta quinta-feira (27), durante coletiva, em São Paulo. A vacina, contudo, não previne contra o coronavírus

O secretário de Saúde de Pernambuco relatou que a medida é um desafio imenso. “Seria ótimo antecipar a campanha, mas é um desafio imenso proposto pelo ministro da Saúde. Precisamos que os insumos cheguem (aos estados) a tempo para antecipar esta campanha. E tomara que ano que vem também já estejamos com a cepa de coronavírus dentro desta vacina”, disse André Longo.

Mais de 130 casos suspeitos de coronavírus no Brasil

Antes do aumento do números de casos suspeitos em Pernambuco, em coletiva nesta quinta-feira (27), o Ministério da Saúde confirmou que há 132 casos suspeitos de coronavírus sendo investigados no País. Os números foram apresentados nesta quinta-feira, em coletiva da pasta. Há apenas um quadro da doença confirmado oficialmente.

O ministério, contudo, ressaltou que esse número pode ser mais elevado, já que a equipe atualizou os dados até o meio-dia desta quinta. De acordo com o pasta, há outros 213 casos na fila para saber se eles se enquadram como suspeitos ou não. Outros 60 quadros já foram descartados em todo o País.

Das regiões brasileiras, apenas a Norte ainda não apresenta casos suspeitos. No Nordeste, são 15 quadros. Sul, Sudeste e Centro-Oeste apresentam 37, 70 e 10 respectivamente. A média de idade dos pacientes suspeitos é de 36,2 anos. A maioria (53,3%) são mulheres, enquanto que os homens são 44,7%.

No mundo, segundo os últimos dados da Organização Mundial de Saúde, são 81.109 casos confirmados, com 2.762 mortes, uma letalidade de 3,4%. Já são 37 países afetados pela doença.

A letalidade, contudo, cai fora da China, epicentro da doença. É de apenas 1,5% contra 3,5% do país asiático.

O que é coronavírus (COVID-19)?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (SARS-CoV-2) foi descoberto em 31 de dezembro de 2019 após casos registrados na China. Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Passo a passo para adequada lavagem das mãos, segundo a Anvisa:

1. Abrir a torneira e molhar as mãos, evitando encostar-se a pia;
2. Aplicar na palma da mão quantidade suficiente de sabonete líquido para cobrir todas as superfícies das mãos;
3. Ensaboar as palmas das mãos, friccionando-as entre si;
4. Esfregar a palma da mão direita contra a parte de trás da mão esquerda entrelaçando os dedos e vice-versa;
5. Entrelaçar os dedos e friccionar os espaços entre os dedos;
6. Esfregar a parte de trás dos dedos de uma mão com a palma da mão oposta, segurando os dedos, com movimento de vai-e-vem e vice-versa;
7. Esfregar o polegar direito, com o auxílio da palma da mão esquerda, utilizando-se movimento circular e vice-versa;
8. Friccionar as pontas dos dedos e unhas da mão esquerda contra a palma da mão direita, fechada em concha, fazendo movimento circular e vice-versa;
9. Esfregar o punho esquerdo, com o auxílio da palma da mão direita, utilizando movimento circular e vice-versa;
10. Enxaguar as mãos, retirando os resíduos de sabonete. Evitar contato direto das mãos ensaboadas com a torneira;
11. Secar as mãos com papel toalha descartável, iniciando pelas mãos e seguindo pelos punhos. No caso de torneiras com contato manual para fechamento, sempre utilize papel toalha.

Uso de máscaras e álcool em gel

Apesar da crescente procura da população por máscaras e álcool em gel, com receio da propagação do Covid 19, após o primeiro caso ser confirmado no Brasil, é preciso cautela. Isto porque o uso das máscaras é indicado apenas para pessoas que têm vínculo epidemiológico, ou seja, estiveram em países como China, Coreia do Sul e Itália nos últimos 14 dias e apresentam sintomas como tosse, febre e falta de ar. Em relação ao álcool em gel e à higienização das mãos, o cuidado envolve a forma e a frequência, visto que não há restrições e que as ações deveriam fazer parte da rotina.

"Não precisa sair todo mundo comprando máscara cirúrgica. Só quem tiver o vínculo epidemiológico e apresentar sintomas, ou quem tiver contato com este paciente. Mesmo que o caso seja confirmado no Estado, não significa que qualquer infecção de via aérea superior vá ser por coronavírus", explica o infectologista Gabriel Serrano. Sobre o álcool em gel, o médico alerta que a pessoa deve utilizá-lo quando não puder lavar a mão com água e sabão. A higienização das mãos deve ser feita cotidianamente e não apenas nos casos de doença, sempre que a pessoa tossir ou espirrar, antes e depois das refeições ou quando necessário.

Nada de alarde

Apesar da suspeita, o secretário de Saúde do Estado de Pernambuco, André Longo, tranquilizou a população, dizendo, nessa quarta-feira (26), que nem todos os casos precisarão de atenção hospitalar e relembra que o único caso confirmado do coronavírus no Brasil está recebendo acompanhamentos médicos em casa.

André Longo explica que o Governo do Estado está "vigilante" quanto aos possíveis casos de coronavírus e pronto para a contenção do vírus em Pernambuco. "Nós estamos observando a ampliação de casos suspeitos no Brasil, que quadruplicou, de ontem [terça, 25] para hoje [quarta, 26], e aqui em Pernambuco, nós tínhamos um caso suspeito ontem [terça] e nós notificamos mais dois casos ao Ministério da Saúde", argumenta.

Longo aconselha as pessoas que tenham, porventura, sintomas do novo coronavírus. Ele indica que os pacientes procurem as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e deixem os hospitais referência no tratamento do vírus para casos realmente suspeitos.

De acordo com o assessor da Secretaria Estadual de Saúde, Demetrius Montenegro, se os casos forem confirmados, os familiares e outras pessoas que tiveram contato com os pacientes receberão uma observação intensiva por 14 dias, que é o período prescrito para todos os pacientes.

Primeiro caso de coronavírus no Brasil

O exame de contraprova realizado no brasileiro que chegou da Itália na sexta-feira (21) confirmou a infecção do homem de 61 anos pelo novo coronavírus. Nessa terça-feira (25), o paciente havia recebido um primeiro teste positivo para o vírus. Os casos suspeitos estão assim espalhados: Paraíba (1), Pernambuco (3), Espírito Santo (1), Minas Gerais (2), Rio de Janeiro (2) e Santa Catarina (2) e São Paulo (11).

Confira o mapa de casos de coronavírus

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias