Festival de Cannes

Aquarius aplaudido de pé em Cannes por mais de 6 minutos. Confira

Filme de Kleber Mendonça Filho é candidato à Palma de Ouro em Cannes

JC Online
JC Online
Publicado em 19/05/2016 às 13:37
YouTube
Filme de Kleber Mendonça Filho é candidato à Palma de Ouro em Cannes - FOTO: YouTube
Leitura:

A passagem de Aquarius, do diretor pernambucano Kleber Mendonça Filho, pelo Festival de Cannes não foi marcada apenas pelo protesto contra o "golpe no Brasil" em curso, no entender da equipe do filme. A atuação de Sônia Braga e a feitura do filme mereceram elogios da imprensa brasileira e internacional, o que só veio corroborar a ovação que o ocorreu após a exibição na sessão de gala da sala Lumière, no Palais des Festival. Veja a emoção deste momento:

Para os críticos, Aquarius é um dos fortes candidados às premiação em Cannes. A Palma de Ouro será entregue no domingo, às 15h, horário do Brasil.

Confira a repercussão no exterior

“(...) O magnífico segundo filme de Kleber Mendonça Filho transforma uma história de sincera justiça social em uma investigação cativante sobre o valor do passado num presente determinado a varrê-lo. (...) O senso lúcido de espaço e lugar do filme, ajudado pela busca da câmera pelo detalhe visual sensual e pelo design de som que faz os ouvidos gemerem de deleite, é um dos mais generosos prazeres do filme. (...) Braga foi apresentada aqui com um papel singularmente denso e multi-facetado, e ela mergulha nele com uma espécie de majestade leonina”, Robbie Colin, do Telegraph, que deu cinco estrelas para o filme

“Cannes está ocupada, o invasor veio do exterior, do Brasil, é uma térmita velha e criança ao mesmo tempo, de um tempo antigo a querer manter a sua memória. A competição da 69.ª edição do festival não tem alternativa, o que quer que os prêmios digam no final, dia 22: entrou na era de Aquarius, está já a ser corroída pelos efeitos daquele que é até agora o melhor filme do concurso”, Vasco Câmara, O Público

“Seu muito esperado segundo filme é mais sutil, mas não menos maduro, e mais calmo, mas não menos furioso. Estrelando a incomparável Sônia Braga como uma viúva abastada apegada a seu apartamento contra as pressões de empreiteiros, Aquarius é um estudo de personagem tanto quanto uma meditação perspicaz sobre a transitoriedade desnecessária dos lugares e sobre o modo como os espaço físicos se vão junto com nossa identidade. (...) Se o filme parece ser tanto de Braga como de Filho, é porque o diretor deu esse presente para ela (e para os espectadores) numa bandeja de prata. Uma atriz intuitava e de tirar o fôlego, ela envelheceu de forma bela com um aspecto físico aristocraticamente sensual e faz a firmeza de Clara se misturar com a sua ternura”, Jay Weissberg, da Variety

“Em Aquarius, o cineasta Kleber Mendonça Filho faz uma crônica da sociedade brasileira com um domínio e uma melancolia impressionantes”, Gérard Delorme, da Premiere

“Em alguma medida, Aquarius pode ser uma metáfora do Brasil e da sociedade brasileira, com o nepotismo, a corrupção e o cinismo em seu alcance máximo. (...) E ainda assim é um retrato denso e soberbamente interpretado de uma mulher de uma certa idade”, Peter Bradshaw, do Guardian

“Composto e narrado de forma mais clássica, com uma nostalgia das vistas e dos sons de tempos antigos, o filme é essencialmente um retrato de uma mulher agarrada à sua dignidade enquanto os outros tentam levar o que mais querido para ela: o apartamento onde ela viveu, amou e sobreviveu a várias provações pessoais”, Jordan Mintzer, do Hollywood Reporter

“Kleber Mendonça Filho descreve os problemas do Brasil contemporâneo com beleza e musicalidade”, Le Monde

“Sônia Braga está deslumbrante. Vou sonhar com os pés da Clara e da Gabriela, Cravo e Canela”, José Vieira Mendes, crítico português

“É a minha Palma de Ouro”, Paulo Portugal, do Jornal Tornado

 

Últimas notícias