CINEMA

Kleber Mendonça Filho escreve sobre polêmica em comissão do Oscar

O diretor de Aquarius respondeu sobre o crítico Marcos Petruccelli, que tem criticado o filme antes de vê-lo

JC Online
JC Online
Publicado em 19/08/2016 às 12:20
AFP
O diretor de Aquarius respondeu sobre o crítico Marcos Petruccelli, que tem criticado o filme antes de vê-lo - FOTO: AFP
Leitura:

Em uma  carta aberta nas redes sociais e na Folha de S. Paulo, o diretor pernambucano Kleber Mendonça Filho, diretor de Aquarius, respondeu a celeuma iniciada com a indicação do crítico Marcos Petruccelli para a comissão que selecionará o filme brasileiro indicado ao Oscar 2017. A polêmica começou porque a Folha de S. Paulo lembrou que Marcos havia criticado o protesto de Kleber e sua equipe contra o processo de impeachment de Dilma Rousseff no Festival de Cannes - o crítico chegou a insinuar que o dinheiro público havia levado uma comitiva de mais de 30 pessoas para a cidade francesa.

Kleber explica que acharia a indicação natural de Marcos para a comissão, mas que o questionamento da imprensa e das redes sociais surgiu porque “o jornalista em questão vem atacando, por questões políticas suas, já há três meses, Aquarius, filme escrito e dirigido por mim, e que o jornalista membro oficial da comissão já informou não ter visto”.

“Se esse comportamento do jornalista já faz da sua participação nesta comissão algo constrangedor para a SaV (Secretaria do Audiovisual), a questão torna-se ainda mais séria quando alguns desses ataques sugerem publicamente mentiras sobre a equipe de mais de 30 profissionais de Aquarius ter ido a Cannes ‘de férias’, suas estadias que teriam sido pagas pelo dinheiro público com orçamento ("no chute" do Sr. Petrucelli) de ‘500’ euros por dia”, continua Kleber.. “Esse é um comportamento irresponsável num momento político onde fatos já têm sido tão ignorados e distorcidos na mídia.”

O texto responde diretamente a essa acusação. “Em Aquarius, nossa equipe trabalhou durante 15 semanas, sete de preparação e oito de filmagem. Esses profissionais quiseram celebrar o longa e do curta, em Cannes. (...) Para que fique claro, com a exceção da minha pessoa e Sonia Braga (despesas pagas pelos co-produtores franceses) e três apoios publicados em Diário Oficial da Agência Nacional de Cinema publicados (previsto, reconhecido, oficializado para profissionais brasileiros a trabalho em grandes festivais internacionais de cinema) para integrantes da nossa equipe de produção, as mais de 30 pessoas da equipe (demais atores, técnicos, produtores) usaram seu próprio dinheiro, parcelando passagens aéreas e dividindo hospedagem”, afirma o diretor. “Não há nada de sinistro nisso. Sinistra é a má fé de um personagem primitivo com acesso à internet, sem senso de informação.”

Aquarius estreou na competição do Festival de Cannes e recebeu grandes elogios da crítica mundial. Depois, foi premiado no Festival de Sidney e no Festival de Lima, além de estar previsto para passar no Festival de Nova York. A pré-estréia no Brasil acontece no sábado (20), no Cinema São Luiz, com presença de Sonia Braga e ingressos já esgotados.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias