PREMIAÇÃO

Anne Hathaway conta que não estava feliz ao vencer o Oscar

Atriz contou ao jornal britânico The Guardian que ainda estava abalada após interpretar Fantine em Os Miseráveis

JC Online
JC Online
Publicado em 21/10/2016 às 17:06
AFP
Atriz contou ao jornal britânico The Guardian que ainda estava abalada após interpretar Fantine em Os Miseráveis - FOTO: AFP
Leitura:

Uma declaração da atriz Anne Hathaway ao jornal britânico The Guardian, quando ela recebeu a estatueta do Oscar, em 2013, repercutiu bastante nesta sexta-feira (21/10). Isto porque as pessoas imaginam este seja um momento de felicidade para os artistas, mas Anne Hathaway explicou que não se sentia dessa maneira - e por um motivo compreensível.

"Parece algo óbvio. Você ganha o Oscar e supostamente precisa estar feliz, mas eu não me sentia assim", contou a atriz.

"Eu tentei fingir que estava feliz. Essa é a verdade, foi ruim. Mas o que você aprende de uma experiência como esta é que sente que pode morrer de vergonha, mas de verdade não morre", afirmou a atriz.

FANTINE

Anne Hathaway recebeu o Oscar de melhor atriz coadjuvante ao interpretar a personagem Fantine no filme Os Miseráveis (2012), dirigido por Tom Hooper. Fantine sofre muito na história. A personagem começa trabalhando em uma fábrica no interior e da França e manda dinheiro para um casal que "cuida" da filha dela, Cosette (na verdade, eles ficam com o dinheiro, exploram e maltratam a menina).

Mas, quando descobrem que Fantine tem uma filha sem estar casada, ela é demitida e acaba tendo que vender os cabelos e os dentes. Na tentativa de se manter junto com a filha, ela também se prostitui. Mais tarde, ela descobre que está com tuberculose. 

"Eu me sentia mal por estar com um vestido que custava mais do que algumas pessoas vão ter na vida e também por ganhar um prêmio por interpretar a dor que ainda faz parte da nossa experiência humana", explicou ela na entrevista ao The Guardian.


O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias