CINEMA

Cinema da UFPE pronto para a inauguração

Primeira sala da Zona Oeste fará parte do circuito alternativo do Recife, ao lado do São Luiz e do Cinema da Fundaçã/Derby e Museu

Ernesto Barros
Ernesto Barros
Publicado em 08/10/2019 às 11:42
Notícia
Divulgação
"Ficam suspensas as atividades de todas as academias de ginástica e similares, bem como cinemas", diz trecho do decreto - FOTO: Divulgação
Leitura:

Foram oito anos de luta até o sonho se tornar realidade: o Cinema da UFPE está pronto e será entregue aos pernambucanos nesta quarta-feira (9/10), às 18h. Dois curtas-metragens, realizados por alunos recém-formados, vão passar na cerimônia de inauguração. A abertura da sala, instalada no bloco B do Centro de Convenções, foi antecipada para marcar a gestão do reitor Anísio Brasileiro, que termina seu segundo mandato no próximo dia 14. A primeira sala de cinema da Zona Oeste começa a operar no dia 7 de novembro. Aberta de terça a domingo, terá duas sessões diárias, chegando a três até o final do ano.

O Cinema da UFPE vai fazer parte do circuito de salas públicas do Recife, formado pelo São Luiz e o Cinema da Fundação/Derby e Museu, em Casa Forte. A sala tem 178 poltronas, com lugares para cadeirantes e obesos. A projeção segue o padrão mundial de exibição, com projetor DCP 4K, som Dolby Digital 5.1, preparada para a exibição de filmes em 2D e em 3D.

“Algumas vezes as pessoas questionaram a necessidade da sala na universidade, mas é inegável que o cinema pernambucano tem muita vinculação com a UFPE. Muitos cineastas passaram por aqui e isso vai continuar acontecendo por causa do curso de cinema. Além disso, a sala não vai atender apenas aos alunos, professores e técnicos da instituição, mais também aos moradores da Várzea e dos bairros próximos. É um conceito ampliado, com o cinema, por um lado, sendo um instrumento de pesquisa, e, do outro, atendendo a comunidade”, analisa o professor Paulo Cunha, que idealizou o projeto do Cinema da UFPE na primeira gestão do reitor Anísio Brasileiro, no início de 2012.

A sala teve um custo de cerca de R$ 3, 5 milhões bancado com recursos próprios da universidade. Para administrar o cinema, a instituição vai contar com a parceria da Fundação de Apoio e Desenvolvimento da UFPE – FADE. A professora Manuella Costa, do curso de cinema, será a coordenadora do projeto.

PROGRAMAÇÃO

Na sessão de inauguração, serão exibidos os curtas Gerônimo, de Anny Stone, e Disforia Urbana, de Lucas Simões. “São dois filmes de estudantes, uma mulher e um homem, desenvolvidos de maneira bem diferente, um que olha para a zona rural e outro para a cidade”, explica o professor Paulo Cunha.

A programação de abertura será composta por filmes de ex-alunos – de Kátia Mesel, passando pela turma de Baile Perfumado, até os que começaram a fazer filmes por volta de 2010, além de professores da instituição.

Entre os títulos, já estão na agulha A História da Eternidade (Camilo Cavalcante); Brasil S.A. (Marcelo Pedroso); Permanência (Leonardo Lacca), As Hipermulheres (Leonardo Sette), Rio Doce-CDU (Adelina Pontual), Sangue Azul (Lírio Ferreira); Eles Voltam (Marcelo Lordello); Saudade (Paulo Caldas), Aquarius (Kleber Mendonça Filho), O Rochedo e a Estrela (Katia Mesel) Tatuagem (Hilton Lacerda); Febre do Rato (Cláudio Assis); Açúcar (Renata Pinheiro e Sergio Oliveira), Amores de Chumbo (Tuca Siqueira), Amigos de Risco (Daniel Bandeira); Boi Neon (Gabriel Mascaro), Superpina (Jean Santos), O Silêncio da Noite (Petrônio Lorena); e Em Nome da América (Ferrando Weller).

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias