Velho Chico também chama a atenção do público pela estética

Fotografia, cenário e figurino foram elogiados já nas primeiras cenas da novela das nove

Caiuá Franco/Globo/Divulgação
FOTO: Caiuá Franco/Globo/Divulgação

Antes de mostrar os personagens da história a ser contada nos próximos meses, a novela Velho Chico (Globo) seduziu o público pelo visual. Depois que a câmera passeou sobre o Rio São Francisco, passou por lavadeiras e barcos, chegou à feira da cidade fictícia do folhetim, com seus vendedores e artistas de rua. A plasticidade em sequências como esta foi um dos aspectos elogiados pelo público na estreia da trama, segunda-feira (14/3) - quando a atração registrou a maior audiência em estreias neste horário desde 2014 (uma média de 35 pontos em São Paulo e 38 no Rio de Janeiro). 

Este cuidado se repetiu em cenas de campo aberto, como os campos de algodão, ou nas que se desenvolviam em ambientes mais fechados, como as festas frequentadas por Afrânio (Rodrigo Santoro) e Iolanda (Carol Castro). Escolhas de luz e enquadramento que tem aparecido mais nas séries e novelas das onze ou das seis (faixa da programação para a qual Velho Chico estava prevista inicialmente).

O público mais assíduo deve ter reconhecido a assinatura de Luiz Fernando Carvalho. Outros trabalhos do diretor artístico de Velho Chico, também podem ser lembrados neste sentido. Um deles é o longa-metragem Lavoura Arcaica. Na TV, pertencem a este grupo as séries Os MaiasHoje É Dia de Maria, A Pedra do Reino e Capitu, além da novela Meu Pedacinho de Chão.

 

Um pouco da liberdade criativa que havia nos figurinos desse folhetim das seis pode ser visto em peças como o vestido que será usado por Leonor (Mariana Nery) no casamento com Afrânio. Mas a verossimilhança aqui é maior.

A figurinista Thanara Schönardie explica que, nos trajes de personagens do Sertão, predominam os tons pastel. Para chegar a eles, a equipe de figurino descoloriu e tingiu tecidos com técnicas artesanais. Já para os moradores de Salvador, como Iolanda, foram escolhidos tons mais saturados. Para a personagem de Carol Castro, foram criadas peças com referências à Tropicália e o cabelo de Caetano Veloso inspirou o corte usado por Afrânio, já que as primeiras fases do folhetim se passam entre o final da década de 1960 e os anos 1970.

Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Luiz Fernando Carvalho orienta Rodrigo Santoro nas gravações - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Belmiro (Chico Diaz) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Embate entre Coronel Jacinto Saruê (Tarcísio Meira) e Capitão Rosa (Rodrigo Lombardi) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Marina Nery e Luiz Fernando Carvalho - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Marina Nery, Luiz Fernando Carvalho e Rodrigo Santoro - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Aracaçu (Carlos Betão) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Eulália (Fabiula Nascimento) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Encarnação (Selma Egrei) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Leonor (Mariana Nery) e Afrânio (Rodrigo Santoro) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Eulália (Fabiula Nascimento) e Ernesto (Rodrigo Lombardi) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Maria Tereza (Julia Dalavia) e Santo (Renato Góes) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Leonor (Marina Nery) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Coronel Jacinto (Tarcísio Meira) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Dr. Emilio (Leopoldo Pacheco) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Clemente (Julio Machado) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Afrânio (Rodrigo Santoro) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Afrânio (Rodrigo Santoro) e Clemente (Julio Machado) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Aracaçu (Carlos Betão) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Padre Romão (Umberto Magnani) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Doninha (Barbara Reis) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Afrânio (Rodrigo Santoro) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Avelino (Xangai) e Edígio (Maciel Melo) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Belmiro (Chico Diaz) e Ernesto (Rodrigo Lombardi) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Paulo Belote/Globo/Divulgação
Cortejo fúnebre do Coronel Jacinto - Paulo Belote/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Piedade (Cyria Coentro) e Belmiro (Chico Diaz) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Afrânio (Rodrigo Santoro) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Afrânio (Rodrigo Santoro) e Leonor (Marina Nery) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Casamento de Leonor e Afrânio - Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Caiuá Franco/Globo/Divulgação
Iolanda (Carol Castro) - Caiuá Franco/Globo/Divulgação

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias