VALE TUDO

Ivete e Criolo homenageiam Tim Maia no Pina

Intérpretes são os convidados do tributo Nivea Viva, que acontece às 16h30 deste domingo (26) na beira do mar

Karoli Pacheco
Karoli Pacheco
Publicado em 26/04/2015 às 6:57
Foto: Leo Aversa/Divulgação
Intérpretes são os convidados do tributo Nivea Viva, que acontece às 16h30 deste domingo (26) na beira do mar - FOTO: Foto: Leo Aversa/Divulgação
Leitura:

Como um sonho todo azul, azul da cor do mar. É como se os versos imortalizados na voz de Sebastião Rodrigues Maia, carinhosamente chamado por todos nós de Tim Maia, ilustrassem o que está para acontecer, às 16h deste domingo (26), às 16h30, nas areias da Praia do Pina. Nesta edição, o projeto Nivea Viva homenageia o Síndico nas vozes dos intérpretes Ivete Sangalo e Criolo. Diferente dos anos anteriores, quando era realizado no Parque Dona Lindu, o novo local foi escolhido para comportar a multidão que deverá comparecer ao tributo cujo acesso é gratuito. 

 

O repertório do show contempla, principalmente, as canções lado A do soul man brasileiro. Ao todo, 31 – havendo medley em três momentos do show. Ivete canta a maioria delas: 14. Também divide o palco com o rapper, que interpreta sozinho outras sete. “Fizemos uma divisão com as músicas que cada um que gostava de cantar, onde cada um se sentia confortável”, justifica a cantora baiana. Em um dos ensaios, conta Ivete, Criolo sugeriu que ela cantasse Lamento sozinha. “Mas falei: vou fazer a cabeça da música. Tu canta com tanta força, tanta personalidade! E a gente foi dividindo, de boa”, recorda Ivete. A canção romântica, presente no disco homônimo de Tim Maia, lançado pela Polydor, em 1972, é um dos pontos altos do show.

 

“Esse show tem eu e a Ivete no modo mais humilde possível. Tem o nosso respeito, nosso carinho, nossa dedicação. Fazer o melhor que pudermos, fazer dentro do nosso jeito de ser, mas é Tim Maia, um cantor maravilho para quem a gente faz essa homenagem”, conta Criolo. Suas palavras refletem a sua apresentação, tão intensa quanto comedida, no Vivo Rio – a estreia para convidados no começo do mês. Em contrapartida, há a expansiva Ivete, habituada aos trios elétricos e a fazer música para tirar o pé do chão. Juntos, juntinhos, os dois interpretam “os grandes sucessos que tocaram no rádio, na comunicação mais popular, mais abrangente”, diz Ivete.

Ao passo que interpreta canções como Me dê motivo ou Um dia de domingo, ao lado de Ivete, Criolo chacoalha e faz um passeio pela sua memória afetiva. As lembranças musicais de Tim Maia, o MC carrega desde os seus bailinhos da infância: “nas duas apresentações que tivemos, o que fica forte para mim é o quanto foram importantes os bailinhos de rua, de colégio, os DJs dos bairros – porque esses caras que me apresentaram o Tim”. Quem cuida da direção musical do show é Daniel Ganjaman, amigo e produtor de Criolo. Os arranjos contemplam a antológica Orquestra Vitória Régia, banda que acompanhava Tim Maia em suas apresentações.

Ciente de seu grande público, Ivete acredita no tributo Viva Tim Maia como uma forma de transmissão de valores culturais. “Popularidade em prol de algo pra todo mundo. Como eu ouvi a própria Gal Costa regravando coisas de (Dorival) Caymmi. Eu, muito menina, ouvindo isso, graças ao intermédio dela. Alguns artistas cantaram Paulo Diniz, outros artistas cantam essa ou outra, seja brasileira ou internacional. Acho importante me utilizar como um duto para a geração nova”, reflete a cantora.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias