Despedida

Ayrton Montarroyos deixa o Recife para se descobrir musicalmente

Jovem cantor de MPB se despede da cidade natal para focar na gravação do novo disco em São Paulo

Robson Gomes
Robson Gomes
Publicado em 07/05/2016 às 9:00
Foto: André Nery/JC Imagem
Jovem cantor de MPB se despede da cidade natal para focar na gravação do novo disco em São Paulo - FOTO: Foto: André Nery/JC Imagem
Leitura:

"Eu sou canceriano, ascendente em peixes e lua em câncer. Então é água, água e água. É só drama e choro", é assim que o próprio Ayrton Montarroyos, no alto de seus 20 anos, tem definido a sua sonoridade. O jovem cantor de MPB, que teve sua carreira catapultada no programa The Voice Brasil, da Rede Globo, viverá um momento especial neste sábado (7), no Teatro Boa Vista. Ele está de malas prontas para se despedir de Recife rumo a São Paulo, onde gravará o seu primeiro disco.

Seu gosto musical apurado veio da influência de sua avó e suas tias, que tinham muita afinidade com a música. Aos 10 anos, ouvia três discos repetidos. Entre eles, estava Dalva de Oliveira: "Percebi que tinha algo errado quando num trabalho de escola me perguntaram quem era seus cantores preferidos. Quando eu disse que era Dalva, meus colegas me olharam com estranheza. Eu pensava que Dalva de Oliveira era viva e o Brasil todo ouvia, que todas as crianças de minha idade escutavam aquilo", relembra Ayrton.

As cantoras do rádio inspiraram a carga poética e dramática de Montarroyos enquanto intérprete: "Eu sinto que na passionalidade e na dramaticidade que eu tenho nos meus discos, shows e músicas que eu faço eu me inspiro nelas", explica.

Ayrton Montarroyos deixa o Recife a fim de experimentar: "Eu tô indo para São Paulo pra ver, pra me descobrir, na verdade", confessa ele, que comprou apenas a passagem de ida.

No novo álbum, pretende mostrar sua renovação musical: "Eu vou amadurecendo em percepção e rejuvenescendo em sonoridade, em timbre, em gosto. Hoje gosto bem mais do que aqueles três discos que eu ouvia na infância. Hoje gosto de uns 3.000 discos aí que me formam. (risos)"

Ayrton entrega que encontra dificuldade em encontrar uma boa composição: "Eu gosto de música que tenha uma certa carga dramática, de poesia, de lirismo que talvez os compositores novos, principalmente os de música popular brasileira atual, não me suprem. Eu gosto de algumas coisas, mas pra ouvir eles cantando, não eu", reitera.

Ser finalista no The Voice Brasil, no entanto, não é uma passagem que o cantor ignora. Ayrton coloca que se aproximou de um público mais jovem e, claro, a agenda de shows cresceu rapidamente.

Nesta despedida, Montarroyos traz o mesmo show que apresenta há um ano e meio, mas com novos elementos: "Vou fazer um número a capella, que nunca fiz. Tem música nova no repertório, arranjos revisitados e banda nova. Tudo apontando para o novo disco", encerrou.

SERVIÇO

Ayrton Montarroyos

Neste sábado (7), no Teatro Boa Vista

Rua Dom Bosco, 551, Boa Vista

Ingressos: R$60 (inteira) e R$30 (meia)

Informações: 2129-5961 

Últimas notícias