Sucesso

Paula Toller leva sua fórmula do amor ao Classic Hall

Cantora carioca é uma das atrações da festa Summer Nights, junto com Nando Reis e DJ Jopin, neste sábado (20)

Robson Gomes
Robson Gomes
Publicado em 19/10/2018 às 5:00
Foto: Léo Aversa/Divulgação
Cantora carioca é uma das atrações da festa Summer Nights, junto com Nando Reis e DJ Jopin, neste sábado (20) - FOTO: Foto: Léo Aversa/Divulgação
Leitura:

“Eu canto desde que me conheço por gente. Não vejo graça em outras coisas como vejo em cantar”. A frase vem de uma artista de voz marcante, que foi a precursora do pop feminino nacional. Com 56 anos bem vividos, a carioca Paula Toller Amora desembarca neste sábado (20) na capital pernambucana para a festa Summer Nights no Classic Hall, em Olinda, que ainda conta com shows de Nando Reis e DJ Jopin.

A cantora celebra 35 anos de carreira no Estado com sua nova turnê solo, intitulada Como Eu Quero. O nome faz referência a um dos hits – composto por ela e Leoni – da banda Kid Abelha, que lhe deu projeção nacional e conquistou gerações por várias décadas, até hoje, mesmo com seu fim decretado oficialmente em 2016.

Na entrevista com o Jornal do Commercio, Paula não quis entrar muito em detalhes sobre o conjunto de pop-rock que marcou época. “Só tenho a agradecer por tanto sucesso”, resumiu ela. No show de amanhã, além de entoar sucessos do Kid, haverá espaço para o seu trabalho solo, que já deu origem a quatro álbuns.

“Fiz os discos que estavam em sintonia com meu momento. Um de cantora, que me deu prestígio (Paula Toller, 1998), um que foi lançado em todo o mundo (SoNós, 2007), um DVD premiado (Nosso, 2008) e o Transbordada (2014), um disco pop clássico rejuvenescedor. Deixo a avaliação para o público. Eu me dediquei 100% a todos”, relata.

Fechando o repertório do novo show, Paula Toller acrescenta covers de Charlie Brown Jr., Mutantes e uma versão autoral de Stevie Wonder. E ainda que esses artistas pareçam distintos para a voz da cantora, as reinterpretações soam como feitas para a própria. E é a qualidade vocal de Toller que a faz ser uma artista, de fato, singular.

“Cuido do corpo em geral, para ter fôlego e uma bela emissão. Inspirações eu tive diversas, mas o fundamental foi encontrar a minha própria voz, aquilo que é só meu e atinge a emoção das pessoas”, revela.

Em tempos que se fala do empoderamento feminino na música, Paula Toller enxerga um vento de mudança. “As mulheres estão protagonizando, não só na música. Na minha época eram pouquíssimas as que compunham e se produziam no sentido musical e no business”, afirma. Já sobre a nova geração do pop-rock, Toller confessa ser uma mera espectadora: “Tem muita gente boa, mas a minha época de ser influenciada foram os anos 1970. Agora eu só observo”.

Amanhã, no entanto, é o público que vai observar de perto a desenvoltura da artista, que chega com uma bagagem de hits permeadas por uma voz doce e segura ao mesmo tempo. E sobre “como ela queria” ser lembrada nos próximos 35 anos, ela deixou a intimação para os pernambucanos: “Vamos conversar na ocasião”.

SERVIÇO

Summer Nights – com Paula Toller, Nando Reis e DJ Jopin. Neste sábado (20), a partir das 21h, no Classic Hall (Av. Agamenon Magalhães, Complexo de Salgadinho, S/N, Olinda). Ingressos: de R$ 50 (pista meia) a R$ 1600 (camarote 10 pessoas), à venda na bilheteria do local, Ticket Folia e site Eventim. Informações: (81) 3427-7501.

Últimas notícias