Passinho nas escolas

Após polêmica com deputada, Shevchenko e Elloco lançam hit 'passinho não é crime'

Deputada Clarissa Tércio (PSC) elaborou um projeto de lei que visa proibir manifestação cultural cujas as coreografias sejam ''pornográficas''

JC Online
JC Online
Publicado em 14/09/2019 às 17:59
Notícia
Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
FOTO: Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
Leitura:

"Não sou bandido... só quero mostrar cultura para o Brasil". Esse é um trecho da mais nova música da dupla Shevchenko e Elloco, lançada neste sábado (14). Intitulada como 'Passinho não é crime', o hit foi divulgado após o polêmico projeto de lei da deputada Clarissa Tércio (PSC), que visa proibir qualquer dança ou manifestação cultural cujas as coreografias sejam "pornográficas" nas escolas públicas de Pernambuco.

Anteriormente, em entrevista ao Jornal do Commercio, o MC Shevchenko já havia se posicionado contra o projeto. Na ocasião, o músico afirmou que havia outras questões, que seriam mais importantes, a serem discutidas. Na letra da nova canção, a dupla alega que o passinho faz parte da cultura do Estado, assim como outros ritmos tradicionais, como o frevo, maracatu e caboclinho. Ainda na canção, os cantores pedem respeito aos "moleques do passinho".

Ouça a música

Projeto de lei polêmico

A polêmica sobre o ritmo teve início após a deputada Clarissa Tércio, integrante da bancada evangélica da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), apresentar um projeto de Lei que tem como objetivo proibir apresentações de dança que "exponham crianças e adolescentes à erotização precoce nas escolas no Estado". No texto do PL 494/2019, a parlamentar justifica que a erotização precoce de crianças e adolescentes é um dos fatores responsáveis pelo crescimento da violação da dignidade sexual das mulheres.

Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
Shevchenko e Elloco são um dos principais nomes do ritmo que vem ganhando cada vez mais espaço - Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
Na loja Braba de Milionário eles recebem novos MCs, dançarinos do Passinho e usam como estúdio - Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
Eu tô só calado: bordão surgiu depois de colegas do próprio meio musical desacreditarem do trabalho - Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
O grupo Passinho do Maloka S.A é um dos mais populares no movimento - Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
Eles começaram a dançar juntos em setembro de 2018 e, desde então, o sucesso é crescente - Foto: Filipe Jordão/JC Imagem

O projeto não foi bem aceito pela comunidade do passinho e pelos Mc's dos estados, que enxergam no passinho uma manifestação cultural. Em uma publicação no seu Instagram, Shevchenko afirmou que o passinho foi o movimento que "mais tirou os jovens da criminalidade e que diminuiu o índice de violência no último Carnaval". O cantor ainda disse que iria lutar até o "último minuto" pela manutenção do Passinho.

A ascensão do passinho

Em julho deste ano, o JC explorou um pouco mais o universo do passinho. Nascido nas comunidades do Recife, o ritmo virou febre no Brasil, com seus passos caricatos e até com disputas de performances. Veja o vídeo acima. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias