Disco

Bob Dylan e Johnny Cash juntos no estúdio

Gravações de50 anos atrás finalmente lançadas

José Teles
José Teles
Publicado em 02/11/2019 às 10:46
Foto: Divulgação
Gravações de50 anos atrás finalmente lançadas - FOTO: Foto: Divulgação
Leitura:

Depois de escutar a música das célebres sessões de gravação de Bob Dylan e Johnny Cash, realizadas 50 anos atrás, num estúdio da Columbia, em Nashville, no Tennessee, é de se lamentar a grande oportunidade perdida. O produtor Bob Johnston, que nessa época produziu o álbum Nashville Skyline, de Dylan, e At San Quentin, de Johnny Cash, bem que poderia ter sugerido que os dois fizessem um disco juntos.

Parte dessas sessões perdeu-se por um motivo prosaico. A Columbia não tinha mais onde armazenar as tapes, não quis alugar um imóvel extra e deu fim a muitas fitas, entre essas, parte do que Dylan e Cash gravaram. A atração de Bob Dylan por Nashville, a capital da country music, começou em 1966. Foi lá que gravou Blonde on Blonde. No ano seguinte, fez John Wesley Harding e, dois anos depois, o citado Nashville Skyline.

Com exceção de North Country Fair, incluída em Nashville Skyline, as gravações de Bob Dylan com Johnny Cash passaram 50 anos arquivadas. Circulam há anos em álbuns bootlegs, com qualidade de som razoável. No dia 1º de novembro, as duas sessões Dylan/Cash chegaram oficialmente ao público no 15ª volume da Bootleg Serie: Bob Dylan (featuring Johnny Cash) – Travelin’ Thru, 1967 – 1969: The Bootleg Series Vol. 15.

São três discos. O primeiro com outtakes, sobras de versões alternativas do álbum John Wesley Hardin. Os outros dois trazem as sessões de Dylan com John Cash, mais a apresentação ao vivo com o banjista Earl Scruggs, um clássico do blue grass.

Sente-se um Dylan, no início, meio intimidado diante de Johnny Cash, já uma lenda da música popular americana. A diferença de idade entre eles era de nove anos. Em 1969, Cash já estava com 15 anos de carreira, Bob Dylan com sete. Embora Cash fosse tido como um astro country, ele foi um dos criadores do rock-a-billy, em 1954, com Elvis Presley, Jerry Lee Lewis, Carl Perkins e Roy Orbinson, o quinteto de vários milhões de dólares da pequena gravadora Sun Records, em Memphis, Tennessee.

 “Bob me convidou para uma participação no álbum. Eu fui ao estúdio, eles ligaram o gravador durante cerca de duas horas”, conta Johnny Cash no libreto do encarte. Dylan estava em mais um momento de transição. A voz nunca soou mais suave, contrastando com o barítono de Johnny Cash. Grande parte das gravações de Dylan e Cash é de improvisos, em standards do country, folk, gospel, clássicos feito Just Little Walk With Thee ou You Are My Sunshine. Dylan canta canções do repertório de Cash, Ring of Fire, por exemplo, e Cash canções de Dylan, feito Don’t Think Twice, It’s Allright (modificando a letra). Ou cantam juntos, feito em Five Feet High and Rising, sucesso de Johnny Cash em 1959.

OUTRAS VERSÕES

 Um dos pontos a altos desta parceria é Don’t Think Twice It’s All Right mesclada com Understand Your Man. Mais um bom momento é Wanted Man, que Dylan fez para Cash (está no álbum At San Quentin). Esta é a única gravação de estúdio que se conhece com Dylan. Os outtakes de John Wesley Harding e de Nashville Skyline mostram como Bob Dylan reconstruía discos em estúdio.

Os outtakes de John Wesley Harding e de Nashville Skyline mostram como Bob Dylan reconstruía discos em estúdio. Tem versões bem diferentes das oficiais, com outros andamentos. Três discos, de canções simples, puro deleite, e mais uma vez, uma pena que Johnny Cash e Bob Dylan não tenham feito um disco juntos,valendo.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias