O FREVO É HIT

É tradição. Frevo domina disparado ranking no Carnaval de Pernambuco

Levantamento feito pelo Ecad mostra que, nos últimos cinco anos, as músicas mais executadas durante o Carnaval foram frevos

Carolina Fonsêca
Carolina Fonsêca
Publicado em 14/02/2020 às 17:14
Notícia
Foto: Sérgio Bernardo/Acervo JC Imagem
Levantamento feito pelo Ecad mostra que, nos últimos cinco anos, as músicas mais executadas durante o Carnaval foram frevos - Foto: Sérgio Bernardo/Acervo JC Imagem
Leitura:

O Carnaval de Pernambuco é, de fato, multicultural. Com doses de todos os ritmos, a festa é feita de forma plural e democrática. Apesar desta pluralidade, ainda há espaço para o típico bairrismo pernambucano. A dose de frevo nessa mistura, por exemplo, consegue ser comprovadamente maior que a dos demais ritmos. Um levantamento do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad) feito com base nas músicas mais executadas nos palcos e trios elétricos durante os dias de Momo mostra que o frevo é o ritmo mais tocado na folia pernambucana. 

>>> Por que 9 de fevereiro é dia do frevo?

>>> Frevo, Homem da Meia Noite, Galo da Madrugada e muito mais. Conheça as sete maravilhas do Carnaval de Pernambuco

Nos rankings feitos pelo Ecad entre 2015 e 2019, sucessos como Frevo Mulher de Zé Ramalho, o Hino do Galo de José Mario Chaves, Vassourinhas de Batista Ramos e Mathias Da Rocha, se revezaram na liderança. Entre os dez sucessos mais tocados no Carnaval de Pernambuco nos últimos cinco anos o frevo é quase unanimidade. Desse jeito fica ainda mais difícil não ter o melhor Carnaval em linha reta. 

Em 2019, Frevo Mulher de Zé Ramalho, lançada em 1979, foi a mais tocada nos polos de folia. A clássica A Praieira de Chico Science, uma melodia não propriamente carnavalesca, mas completamente cartão de visita pernambucano, se mistura às composições no ranking das mais reproduzidas durante o Carnaval no levantamento.

Confira os rankings das músicas mais tocadas no Carnaval pernambucano nos últimos cinco anos

As dez músicas mais tocadas no Carnaval de Pernambuco em 2019

1 - Frevo Mulher (Zé Ramalho) 

2 - Hino do Galo (José Mario Chaves) 

3 - Voltei, Recife (Luiz Bandeira)

4 - Hino do Elefante (Clídio Nigro/Clovis Vieira)

5 - Oh Bela (Capiba)

6 - Hino da Troça (Milton Bezerra de Alencar) 

7 - Chuva de Sombrinhas (André Rio/Nena Queiroga) 

8 - Tropicana (Alceu Valença/Vicente Barreto) 

9 - Arreia Lenha (Marron Brasileiro)

10 - Me Segura Que Senão Eu Caio (Jota Michiles)

As dez músicas mais tocadas no Carnaval de Pernambuco em 2018

1 - Hino Do Galo (José Mario Chaves)

2 - Voltei, Recife (Luiz Bandeira)

3 - Frevo Mulher (Zé Ramalho)

4 - Oh Bela (Capiba)

5 - Chuva De Sombrinhas (André Rio/Nena Queiroga)

6 - Frevo Do Galo (Paulo Gama/Fernanda Gama/Fernando Azevedo)

7 - Energia (Luiz Queiroga)

8 - Tropicana (Alceu Valença/Vicente Barreto)

9 - Hino Do Elefante (Clídio Nigro/Clóvis Vieira)

10 - Diabo Louro (Jota Michiles)

As dez músicas mais tocadas no Carnaval de Pernambuco em 2017

1 - Hino Do Galo (José Mario Chaves)

2 - Voltei, Recife (Luiz Bandeira)

3 - Oh Bela (Capiba)

4 - Tropicana (Alceu Valença/Vicente Barreto)

5 - Frevo Mulher (Zé Ramalho)

6 - Diabo Louro (Jota Michiles)

7 - Vassourinhas (Batista Ramos/Mathias Da Rocha)

8 - Hino Do Elefante (Clídio Nigro/Clóvis Vieira)

9 - Me Segura Que Senão Eu Caio (Jota Michiles)

10 - Arreia Lenha (Marron Brasileiro)

As dez músicas mais tocadas no Carnaval de Pernambuco em 2016

1 - Vassourinhas (Batista Ramos/Mathias Da Rocha)

2 - A Praieira (Chico Science)

3 - Hino Do Elefante (Clídio Nigro/Clovis Vieira)

4 - Último Regresso (Getúlio Cavalcanti)

5 - Hino Do Galo (Jose Mario Chaves)

6 - Voltei, Recife (Luiz Bandeira)

7 - Frevo Mulher (Zé Ramalho)

8 - Oh Bela (Capiba)

9 - Tropicana (Alceu Valença/Vicente Barreto)

10 - Valores Do Passado (Edgard Moraes)

As dez músicas mais tocadas no Carnaval de Pernambuco em 2015

1 - Hino Do Galo (José Mario Chaves)

2 - Vassourinhas (Batista Ramos/Mathias Da Rocha)

3 - Voltei, Recife (Luiz Bandeira)

4 - Arreia Lenha (Marron Brasileiro)

5 - Hino Do Elefante (Clídio Nigro/Clovis Vieira)

6 - Frevo Mulher (Zé Ramalho)

7 - Oh Bela (Capiba)

8 - Evocação N. 1 (Nelson Ferreira)

9 - Chuva De Sombrinhas (André Rio/Nena Queiroga)

10 - Tropicana (Alceu Valença/Vicente Barreto)

Inadimplência no pagamentos dos direitos autorais

Na notícia elogiosa do Ecad ao repertório tocado no carnaval pernambucano, uma maioria de composições locais, algumas observações. Historicamente não é novidade. O frevo dividiu o espaço com marchinhas e sambas desde os anos 30, quando era gravado em quantidade quase ínfima em relação aos discos que as gravadoras cariocas lançavam com músicas carnavalescas, divulgadas pelos país inteiro. Mesmo assim, tocava-se muito frevo, a maioria deles inédita em disco. Basta dizer que Vassourinhas, o frevo de rua mais tocado no Recife e Olinda os anos 30 e 40, só foi gravado na década de 50. Com o surgimento da Rozenblit, a partir da instalação do estúdio e da fábrica de discos, o frevo foi o gênero dominante no carnaval de Pernambuco e de estados da região. E não apenas os frevos. Sucessos do carnaval carioca e, portanto, nacional, feito cabeleira do Zezé (João Roberto Kelly/Roberto Faissal), ou Máscara Negra (Zé Kéti) foram lançados pela originalmente pela Rozenblit.

Nos últimos anos, na capital, especificamente, o frevo não mais divide o gosto do folião com música carioca, mas com rock, axé, carimbó, cumbia, e ene ritmos, já que a cidade assumiu-se multicultural, um vale-tudo de rítmico. No Clube de Máscaras Galo da Madrugada, artistas locais predominam, mas nem todos do frevo. A cada ano há inovações. A deste 2020 deve ser a abertura para o cada vez mais aceito bregafunk.

O levantamento do repertório do carnaval pernambucano feito pelo Escritório Central de Arrecadação cita Hino do Galo da Madrugada (José Mario Chaves), Vassourinhas (Joana Batista/Mathias da Rocha), Voltei, Recife (Luiz Bandeira) e Oh Bela (Capiba), como das mais tocadas.

A dez mais do ranking em 2019, inclui músicas de J.Michiles. André Rio, Marrom Brasileiro. A matéria do Ecad só não ressalta que este pessoal recebe uma ninharia de direitos autorais, em relação ao que suas músicas são executadas, pelo simples fato de que no Norte e Nordeste é onde se localiza a maior faixa de inadimplência do Ecad.

Como as músicas carnavalescas pernambucanas, com exceção de Vassourinhas, só tocam em Pernambuco, isto leva, ano após ano, a que as maiores arrecadações do órgão sejam de canções muito antigas, a maioria de autores já falecidos. A mais tocada de 2019 (e anos anteriores) foi Mamãe Eu Quero, de Jararaca e Vicente de Paiva, lançada há 83 anos, por Carmem Miranda. Curiosamente uma marcha canção com este nome era muito citada no repertório de blocos do Recife nos anos 20. Coincidentemente, quando Jararaca vivia no Recife.

A segunda e a terceira são, respectivamente, Cabeleira do Zezé (João Roberto Kelly/Roberto Faissal), Me dá um dinheiro aí (Homero Ferreira/Glauco Ferreira/Ivan Ferreira). Entre as vinte mais tocadas, por exemplo, no carnaval de 2015, a única pernambucana é Vassourinhas, na 17ª posição. Os pernambucanos Irmãos Valença estão na lista, no 7º lugar, graças a parceria involuntária com Lamartine Babo, involuntariamente, em O Teu Cabelo Não Nega, maior sucesso do carnaval brasileiro em 1932 (os irmãos Valença a compuseram em 1929).

Em suma, os compositores pernambucanos mais tocados em pernambuco, poderiam engordar vigorosamente suas contas bancárias a cada carnaval, se houvesse fiscalização severa, e determinação da entidade para enquadrar os inadimplentes na região. O que aliás, também acontece no período junino, por idênticos motivos.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias