Abrazo

Caixa não esclarece razões para cancelar peça do Clowns de Shakespeare

Empresa alega descumprimento contratual, mas não detalhou de qual item

Márcio Bastos
Márcio Bastos
Publicado em 09/09/2019 às 17:18
Notícia
Rafael Telles/Divulgação
Empresa alega descumprimento contratual, mas não detalhou de qual item - FOTO: Rafael Telles/Divulgação
Leitura:

O anúncio da suspensão das três sessões remanescentes de Abrazo, espetáculo do Clowns de Shakespeare (RN), no último sábado (7) e domingo (8), na Caixa Cultural Recife, pegou o público e o grupo de surpresa. Antes do cancelamento, chegou a ocorrer uma apresentação, às 15h. Nesta segunda-feira (9), a Caixa anunciou que rescindiu o contrato com o grupo, alegando que teria havido quebra contratual. A instituição financeira e gestora do espaço, no entanto, não indicou até o momento qual item teria sido desrespeitado pelo coletivo.

Em resposta ao questionamento do Jornal do Commercio sobre a suspensão das sessões, a empresa enviou a seguinte resposta: "A CAIXA informa que por descumprimento contratual cancelou o espetáculo Abrazo, com apresentações programadas no espaço cultural do banco. O contrato com o Clowns de Shakespeare foi rescindido, conforme comunicado ao Grupo nesta data". Também informou que os valores estão sendo restituídos diretamente na bilheteria, desde sábado (7), mediante apresentação do ingresso.

O grupo Clowns de Shakespeare diz ter sido pego de surpresa com o cancelamento da temporada, uma vez que não enxerga qualquer ação que possa ter configurado quebra contratual.

LEIA A NOTA OFICIAL DO GRUPO:

"No último sábado, dia 7 de setembro de 2019, após haver realizado a primeira apresentação do espetáculo Abrazo na Caixa Cultural Recife, fomos surpreendidos com o cancelamento da segunda sessão do dia, assim como das demais apresentações que seriam realizadas no dia seguinte.

Nesta segunda-feira recebemos um comunicado oficial da Caixa Econômica Federal informando a rescisão do contrato relativo ao restante desta temporada, que se estenderia até o próximo domingo, 15 de setembro, sob a genérica alegação de descumprimento contratual.

Nenhum esclarecimento adicional nos foi dado, o que nos moveu a solicitar da Caixa o parecer jurídico e a decisão administrativa relativos a essa rescisão, com detalhamento para que possamos analisar e nos posicionar apropriadamente sobre o caso.

Até o momento estamos perplexos diante dessa atitude, uma vez que não reconhecemos qualquer indício de infração que pudesse ter sido eventualmente cometida, pois cumprimos com tudo que estava contratualmente previsto.

O contrato de patrocínio celebrado com a Caixa decorreu de edital no qual se habilitou e foi selecionado o Grupo Clowns de Shakespeare, dentro das normas legais de seleção de projetos.

Esperamos que essa justificativa, genérica e lacônica, seja esclarecida pela Caixa, de forma a possibilitar ao grupo defender-se de tal alegação.

Agradecemos o apoio maciço que estamos recebendo de diversos setores da sociedade, e voltaremos a nos pronunciar tão logo a nossa solicitação de esclarecimentos seja atendida pela Caixa."

SOBRE ABRAZO:

Abrazo faz parte da Trilogia Latino Americana dos Clowns, que conta ainda com os espetáculos Nuestra Senhora de las Nuvens e Dois Amores y um Bicho. A produção é a única na trilogia destinada ao público infantil e foi a segunda a ser criada. No espetáculo, o diretor Marco França teve o desafio de montar a narrativa sem fala escrita e que trouxe para o universo da criança temas como guerras e proibições. Livremente inspirada em O Livro dos Abraços, de Eduardo Galeano, com roteiro dramatúrgico de César Ferrario, a obra convida os espectadores a uma jornada através do olhar de um menino que vive em um país onde não é permitido que as pessoas se abraçarem ou demonstrarem qualquer afeto uns com os outros.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias