Decisão

Justiça mantém decisão que inocentou cunhado de Ana Hickmann

Gustavo Corrêa foi acusado pela morte de fã que manteve a apresentadora refém

JC Online
JC Online
Publicado em 10/09/2019 às 16:54
Instagram/Reprodução
Gustavo Corrêa foi acusado pela morte de fã que manteve a apresentadora refém - FOTO: Instagram/Reprodução
Leitura:

Nesta terça-feira (10) Ana Hickmann comemorou nas redes sociais a decisão da Justiça de manter a decisão em primeira instância que considerou seu cunhado, Gustavo Corrêa, inocente no caso que envolveu a morte de Rodrigo Augusto de Pádua, em 2016. Na ocasião, Rodrigo invadiu o quarto de hotel da apresentadora, em Belo Horizonte, e a fez de refém. Ele, no entanto, foi morto com três tiros na nuca por Gustavo.

"Meu Deus, muito obrigada. Legítima defesa! Mais uma vez a justiça foi feita. Decisão dos Desembargadores. Obrigada por todos que oraram, por todos que torceram, obrigada por cada mensagem de apoio e carinho", escreveu Ana Hickmann em seu perfil no Instagram.

DECISÃO

Segundo matéria de Carlos Eduardo Cherem Colaboração, em colaboração para o UOL, em 2016, Gustavo foi acusado por homicídio, mas, em foi absolvido pela juíza Âmalin Aziz Sant'Ana, titular do 2º Tribunal do Júri da capital mineira, que considerou que ele agiu em legítima defesa. O caso foi reaberto em 2018, quando o promotor do Tribunal do Júri do Fórum Lafayette, Francisco de Assis Santiago, recorreu da decisão.

Com a decisão da 5ª Câmara do TJ-MG desta terça-feira (10), que inocentou Gustavo, foi negado o pedido feito pelo Ministério Público de Minas Gerais para que ele fosse a júri popular para ser julgado pela morte.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias