Indústria

Campanha por salários decentes na indústria têxtil é lançada na França

Campanha se denuncia o fato de que as funcionárias são consideradas menos como pessoas humanas que como fatores de produção

Da AFP
Da AFP
Publicado em 15/10/2014 às 10:08
Foto: Reprodução/Internet
Campanha se denuncia o fato de que as funcionárias são consideradas menos como pessoas humanas que como fatores de produção - FOTO: Foto: Reprodução/Internet
Leitura:

O grupo "Ethique sur l'étiquette" (Ética na Etiqueta) lançou nesta quarta-feira em Paris uma campanha denominada "#soldées", para protestar pelos salários miseráveis pagos no mundo pela indústria têxtil.

"Ethique sur l'étiquette" agrupa várias associações, sindicatos e organizações de consumidores da França. Seu objetivo é a promoção do respeito dos direitos humanos no mundo do trabalho mundial.

A campanha se propõe "a denunciar o fato de que as funcionárias são consideradas menos como pessoas humanas que como fatores de produção", declarou à AFP Nayla Ajaltouni, porta-voz do grupo.

Ética na Etiqueta quer "exigir que as multinacionais do setor têxtil levem em conta em suas práticas econômicas o direito dos trabalhadores de suas redes terceirizadas a um salário vital", que permita cobrir as necessidades básicas.

Junto com a "Clean clothes campaign", da qual o grupo é o braço francês, o Ética na Etiqueta enviou um questionamento a 50 multinacionais para avaliar seu compromisso em favor de um salário vital.

O coletivo disse que nenhuma das multinacionais que responderam se comprometeu de maneira significativa sobre o tema.

Ética na Etiqueta lembrou que "a maioria dos 60 milhões de trabalhadores" da indústria têxtil no mundo "não ganham para viver dignamente".

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias