pme

Emprego informal ganha terreno na pesquisa do IBGE

Em agosto, houve aumento de 2,4% (49 mil pessoas) no emprego sem carteira de trabalho

Karol Albuquerque
Karol Albuquerque
Publicado em 25/09/2014 às 13:23
Leitura:

O trabalho não registrado começa a mostrar indícios de aumento na Pesquisa Mensal de Emprego (PME), embora o movimento ainda não seja significativo, disse nesta quinta-feira (25) Cimar Azeredo, coordenador de Trabalho e Rendimento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). "Isso mostra que o mercado de trabalho não está gerando postos de trabalho formais como antes", avaliou.

Embora não haja evidências que comprovem a relação de eventos como a Copa do Mundo e as Eleições, Azeredo afirmou que algumas pessoas podem se sentir incentivadas a buscar trabalho nessas épocas. Isso aumenta a população economicamente ativa - fenômeno que ocorreu em agosto, com acréscimo de 102 mil pessoas - e ainda pode estar provocando redução no rendimento em alguns meses.

"Esses eventos, de alguma forma, trazem trabalhadores sem carteira e por conta própria. Não temos como levantar se é por isso mesmo. Não posso garantir o efeito na pesquisa, mas podemos dizer que aconteceu isso (queda) com o rendimento", afirmou Azeredo.

Em agosto, houve aumento de 2,4% (49 mil pessoas) no emprego sem carteira de trabalho, enquanto os trabalhadores por conta própria avançaram 1,3% (56 mil), sempre na comparação com julho. Apesar disso, a renda aumentou 1,7%, uma vez que o emprego com carteira teve alta de 0,7%.

Em outros meses, contudo, houve maior avanço dos postos informais. Em junho, por exemplo, o emprego sem carteira aumentou 1,1%, enquanto os trabalhadores por conta própria avançaram 2,6%. Os empregos formais, por sua vez, recuaram 0,1%, sempre na comparação com maio.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias