Consumo

Queda no consumo de energia no Carnaval pode beneficiar reservatórios

Segundo o ministro de Minas e Energia, espera-se, para fevereiro, chuvas dentro da média histórica, o que deve colaborar para a melhoria da situação da crise hídrica

Da ABr
Da ABr
Publicado em 12/02/2015 às 15:32
Foto: Elza Fiúza/ Agência Brasil
Segundo o ministro de Minas e Energia, espera-se, para fevereiro, chuvas dentro da média histórica, o que deve colaborar para a melhoria da situação da crise hídrica - FOTO: Foto: Elza Fiúza/ Agência Brasil
Leitura:

Caso se confirme a expectativa de queda da demanda por energia durante o carnaval, é possível que as festas acabem colaborando para a recuperação de alguns reservatórios. A expectativa é do ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga. Segundo ele, espera-se, para fevereiro, chuvas dentro da média histórica, o que deve colaborar para a melhoria da situação da crise hídrica, especialmente na Região Sudeste.

“Há uma expectativa de chuva, o que é bom, porque é na área onde precisamos dela. E, se chover em dia de baixa carga, significa que a gente poupa água e recupera mais um pouco os reservatórios em várias regiões estratégicas”, disse Braga, após reunião com o diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Hermes Chipp, e representantes da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), daEletrobras, de Furnas, da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), da Eletronorte e da Eletrosul.

De acordo com Braga, apesar de alguns reservatórios ainda não terem se beneficiado das chuvas, a expectativa é de melhora da situação ao longo do mês. “Já há, pelo menos em fevereiro, uma melhora bastante razoável. Até o final do mês, a expectativa é que chova na média histórica, o que, diante do que aconteceu em novembro, dezembro e janeiro. já é uma melhoria”, acrescentou.

Na reunião de hoje, foram definidas ações de segurança do atendimento em eventuais problemas de falta de energia elétrica durante o carnaval. Está prevista a mobilização de equipes de plantão e monitoramento das condições atmosféricas para identificar locais com maior probabilidade de vendavais, chuvas fortes ou incidência de descargas atmosféricas.

“O carnaval é uma grande festa, mas todas as outras atividades do país praticamente param em função dele. Portanto, não temos um aumento de carga. O que pode acontecer é algum incidente ou intercorrência. Por isso, precisamos estar prontos, com equipes para atuar e atender imediatamente a qualquer ação que seja necessária”, disse Braga, ao chegar para a reunião.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias