RECURSOS

Governo remaneja recursos para atender Agricultura, Esporte e Presidência

Valores inicialmente destinados para Educação foram transferidos para outras pastas: R$ 7 milhões à Agricultura; R$ 20 milhões ao Esporte; e R$ 106 milhões à Presidência

Do Estadão Conteúdo
Do Estadão Conteúdo
Publicado em 15/04/2016 às 11:31
Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Valores inicialmente destinados para Educação foram transferidos para outras pastas: R$ 7 milhões à Agricultura; R$ 20 milhões ao Esporte; e R$ 106 milhões à Presidência - FOTO: Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Leitura:

O Ministério do Planejamento abriu R$ 76 milhões em crédito suplementar para atender a programações da Presidência da República, que usará o recurso para ações de comunicação institucional. O crédito extra resulta da anulação parcial de dotações antes destinadas a projetos dos ministérios da Justiça e do Planejamento. A decisão consta de portaria no Diário Oficial da União (DOU). 

O governo ainda publicou nesta sexta-feira (16) portarias com remanejamento de limites de movimentação entre ministérios. Valores inicialmente alocados ao Ministério da Educação foram transferidos para outras pastas: R$ 7 milhões à Agricultura; R$ 20 milhões ao Esporte; e R$ 106 milhões à Presidência da República. Na quinta, o Planejamento já havia remanejado do MEC R$ 155 milhões para a Integração Nacional e R$ 58 milhões para a Agricultura.

Conforme o Broadcast (serviço de notícias em tempo real da Agência Estado) informou esta semana, o governo mobilizou os ministérios para desengavetar todas as medidas que pudessem criar um cenário positivo às vésperas da votação do afastamento da presidente Dilma Rousseff.

Na área econômica, essa movimentação ganhou o apelido de "pacotão do impeachment". Entre as ações, havia a previsão da realização de remanejamentos das despesas do Orçamento para, dessa forma, poder atender pleitos "mais específicos".

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias