IMÓVEIS

Caixa espera que corte de juros atraia clientes para Feirão da Casa Própria

Para o presidente da CEF, o momento é ideal para a compra da casa própria

Lucas Moraes
Lucas Moraes
Publicado em 27/04/2018 às 7:00
FOTO: Guga Matos/ JC Imagem
Para o presidente da CEF, o momento é ideal para a compra da casa própria - FOTO: FOTO: Guga Matos/ JC Imagem
Leitura:

A Caixa Econômica Federal (CEF) iniciará no próximo dia 4 o seu Feirão da Casa Própria em 15 cidades do País. No Recife, será realizado de 25 a 27 de maio, no Centro de Convenções de Pernambuco, onde serão ofertados 5.640 imóveis. A expectativa do banco é movimentar mais de R$ 15 bilhões com as vendas de imóveis, crescimento de ao menos 14,5% em relação a 2017 (R$ 13,1 bilhões) e de 45,6% frente a 2016 (R$ 10,3 bilhões).

Para o presidente da CEF, o momento é ideal para a compra da casa própria, já que os recentes cortes de juros, praticados inclusive pela Caixa, estão gerando um “ciclo virtuoso”, com taxas mais competitivas. “A taxa básica de juros caiu, assim como os juros de financiamento. Emprego e renda começam a ter recuperação e a inflação está baixa. Temos 179 mil imóveis novos e 23 mil usados. Em 2018, superaremos anos anteriores”, afirmou o presidente do banco, Nelson de Souza.

Juros

A Caixa reduziu em até 1,25 ponto percentual as taxas de juros do crédito imobiliário com recursos da poupança. As taxas mínimas passaram de 10,25% a.a para 9% a.a, no caso de imóveis dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), e de 11,25% a.a para 10% a.a para imóveis enquadrados no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI). Ao ser questionado sobre a possibilidade de uma nova redução, Nelson garantiu que a CEF já está com taxas competitivas.

Ontem, o Santander também reduziu para 8,99% ao ano a taxa cobrada no SFH. As novas condições irão vigorar até o dia 31 de julho deste ano. Nos três primeiros meses de 2018, a carteira de crédito imobiliário do banco, para pessoas físicas, atingiu R$ 29,117 bilhões, alta de 7,6% ante o mesmo período de 2017. O corte das taxas faz parte da estratégia da instituição no segmento de crédito imobiliário, apontado pelo presidente do Santander Brasil, Sérgio Rial, como um mercado prioritário para a conquista de participação. Para contratar o crédito imobiliário com as novas taxas, é necessário ser cliente pessoa física Santander com relacionamento.

Procurados, outros grandes bancos do País, como Bradesco e Banco do Brasil, não quiseram comentar sobre a política adotada em relação aos juros do crédito imobiliário. Já o ItaúUnibanco disse já oferecer taxas competitivas e que estão em linha com as praticadas pelo mercado – a partir de 9% a.a + TR.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias