Infraestrutura

Nova gestão do esgoto - tem início a PPP da Compesa

Para marcar início do contrato bilionário, governo e Foz, nova concessionária, criararam um Plano de 100 Dias

Giovanni Sandes
Giovanni Sandes
Publicado em 24/07/2013 às 0:16
Leitura:

A concessionária Foz, que assumiu nesta terça (23) e vai operar por 35 anos o saneamento do Grande Recife e Goiana, uma área de 3,7 milhões de habitantes, iniciou um mutirão de limpeza e desobstrução de pontos críticos do esgoto metropolitano, algo como um “desentupimento” de locais com histórico de vazamento da rede. A estratégia é promover um “choque de gestão” no saneamento, com um Plano de 100 Dias que abrange 186 ruas e avenidas do Recife e outros seis municípios. A concessionária ainda receberá demandas pelo 0800-081-0185 da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) e poderá ampliar o plano inicial.

O bilionário contrato entre a Foz e a Compesa é muito mais abrangente do que o prazo do Plano de 100 Dias. Rebatizado de Programa Cidade Saneada, o projeto é fruto de um contrato de parceria público-privada (PPP) para operação, manutenção, recuperação e ampliação do esgoto do Grande Recife e Goiana, um pacote de investimentos de R$ 4,5 bilhões e mais de R$ 16 bilhões de faturamento ao longo de três décadas. A meta é ampliar até 2025 a coleta de esgoto de 30% para 90% do Grande Recife e o tratamento de 7% para 100% do que é coletado.

Desde que o contrato foi assinado há quase seis meses entre a Foz, do grupo Odebrecht, e a Compesa, foi iniciado o detalhamento dos projetos de obras. Porém, já no ano passado a PPP sofreu desgastes, como quando o senador Humberto Costa (PT), candidato derrotado à Prefeitura do Recife, acusou o governador Eduardo Campos (PSB) de “privatizar” a Compesa, tentando atingir assim o então candidato e hoje prefeito Geraldo Júlio (PSB).

O presidente da Compesa, Roberto Tavares, diz que o modo como o tema foi tratado na campanha “desvirtuou” a discussão. Diante desses e outros fatores, a Foz e a Compesa decidiram demarcar publicamente o início da operação privada do saneamento. “A gente precisava de algo tangível já no começo”, afirma Tavares.

O plano prioriza as reclamações reincidentes de vazamento de esgoto, por cidades, bairros e ruas. Serão 1.641 trabalhadores, 24 horas por dia, distribuídos em equipes que atuarão, por exemplo, na Estrada do Arraial, em Casa Amarela, e na Rua da Hora, no Recife.

A melhoria vai alcançar 64 mil metros de redes de esgoto.

Confira a reportagem na íntegra e a lista completa dos locais que serão alvo do Plano de 100 Dias na edição impressa do Jornal do Commercio desta quarta (24).

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias