Dinheiro Falso

Polícia Federal alerta para o repasse de notas falsas e dá dicas para evitar ser vítima de fraude

A pessoa que recebe o dinheiro falso quase sempre terá de arcar com o prejuízo

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 03/12/2014 às 9:04
Foto: Divulgação/Polícia Federal
A pessoa que recebe o dinheiro falso quase sempre terá de arcar com o prejuízo - FOTO: Foto: Divulgação/Polícia Federal
Leitura:

Tendo em vista a aproximação das festas de fim de ano e o consequente aumento do consumo e eventos, a Polícia Federal em Pernambuco aleta a população com relação ao perigo de recebimento de notas falsas. Com falsificações grosseiras ou mais precisas, é necessário ter sempre atenção e analisar as notas detalhadamente para evitar ser vítima dessa fraude.

Os consumidores e lojistas devem ficar atentos.  Uma das táticas mais utilizadas é utilizar notas falsas de valores altos para comprar itens baratos, em busca do troco 'limpo'. O perigo está aí, a pessoa que recebe uma nota falsa quase sempre terá de arcar com o prejuízo, porque não existe uma legislação que garanta a troca por dinheiro verdadeiro. Se o saque for feito em caixa eletrônico, a recomendação é que o consumidor tire um extrato que comprove o saque e procure o gerente da agência afim de que possa haver um entendimento mútuo acerca do ressarcimento dos valores.

O crime de moeda falsa está previsto no artigo 289 do Código Penal. Quem falsifica, fabrica, adquire, vende, troca, guarda ou tentar colocar uma cédula falsa em circulação está passivo de prisão com penas que variam de 3 a 12 anos de reclusão. Por isso, é importante não repassar a nota. A dinheiro falso deve procurar a Polícia Federal ou entregar a um banco, que encaminha ao Banco Central.

BALANÇO - Neste ano, foram realizadas seis apreensões significativas em Pernambuco, que totalizam R$ 9.805 e sete pessoas foram presas. No ano passado foram apreendidos R$ 11.441 e 11 pessoas foram presas. 

Confira as dicas de segurança da Polícia Federal:

1 - Método “Tocar – Observar – Inclinar”: Percebendo se a textura da nota é diferente do normal e se os elementos de segurança são visíveis pela observação da nota em contraluz ou através da sua inclinação, este método permite identificar um grande número de notas falsas.

2 - Comerciante, não tenha pressa no atendimento: Geralmente essas notas são passadas em locais de grande concentração de pessoas, feiras, lojas, supermercados, comércio ambulante, e muitas vezes a pressa do comerciante para atender um maior número de clientes faz com que ele não tome o devido cuidado em verificar a nota que está recebendo. 

3 - Conheça bem a nota verdadeira: Geralmente pessoas que lidam diariamente com dinheiro, como os caixas de banco e comerciantes, sabem facilmente identificar uma nota falsa - essa experiência em manusear diariamente o dinheiro verdadeiro faz com que eles se tornem especialistas em identificar notas falsas.

4 - No caso de dúvida, compare a nota suspeita com uma nota verdadeira.

5 - Observe a textura da nota: Outra cautela que pode ser tomada é reparar na textura do papel das notas que estão sendo recebidas, as notas falsas tendem a ser lisas, enquanto as notas verdadeiras são ásperas e possuem um alto relevo e saliência nos itens de segurança que pode ser percebido pelo tato. Sinta com os dedos o papel e a impressão.

6 - Observe a impressão da nota: Nas cédulas legítimas, as tonalidades de cores são firmes – as notas falsas têm cores com pouca nitidez e costuma haver borramento das cores.

7 - Verifique a marca d'água colocando a nota contra a luz.

8 - Baixe de forma gratuita no seu smartphone o aplicativo “Dinheiro brasileiro”: O aplicativo desenvolvido pelo Banco Central não analisa a autenticidade da cédula, mas ajuda a identificar e conhecer os itens de segurança.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias