Santo Amaro

Cegonheiros realizam ato na Rua da Aurora

Motoristas de caminhões-cegonha agradecem aos deputados que assinaram um documento reconhecendo o sindicato da categoria e recomendando que a Fiat contrate os trabalhadores

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 09/03/2015 às 8:30
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Motoristas de caminhões-cegonha agradecem aos deputados que assinaram um documento reconhecendo o sindicato da categoria e recomendando que a Fiat contrate os trabalhadores - FOTO: Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Leitura:

Os cegonheiros ligados ao Sindicato dos Transportadores Autônomos de Veículos Automotores e Correlatos (Sintrave PE) fazem um ato na manhã desta segunda-feira (09) na rua da Aurora, em frente à Alepe, no bairro de Santo Amaro, centro do Recife. Com 11 caminhões-cegonha estacionados na via e cartazes de agradecimento, eles homenageiam os 42 deputados que assinaram nessa quarta-feira (4) um ofício que favorece o pleito deles. O documento reconhece o Sintrave-PE e recomendando que a Fiat contrate estes trabalhadores para o transporte de veículos produzidos na fábrica da Jeep – do grupo Fiat Chrysler Automobiles (FCA) – em Goiana, na Zona da Mata Norte.

De acordo com o vice presidente do Sintrave, Luciano Pontes, os sindicalizados se queixam que a Sada Transportes e Armazenagens S.A., empresa sediada em Minas Gerais que coordena o transporte dos veículos da Fiat, prioriza a contratação de cegonheiros oriundos de Minas Gerais e São Paulo. "Nós queremos transportar ao menos 50% dos veículos produzidos em Goiana. Se a fábrica foi construída em Pernambuco, ela deve beneficiar os cegonheiros do Estado e não vindos de fora. Queremos apenas trabalhar", explica Luciano Pontes, vice presidente do Sindicato que representa os cegonheiros. 

O vice presidente afirmou ainda que o grupo tem a autorização da Fiat para realizar o serviço e lembra que uma das exigências feitas pelo então governador Eduardo Campos ao ceder o terreno de Goiana à Fiat foi a utilização da mão de obra local.

Em nota enviada à imprensa no mês de fevereiro, a Sada explicou que o contrato prevê uma política de sustentabilidade baseada na redução do número de viagens. Sendo assim, os veículos que saem da sede da Sada, em Minas Gerais, em direção a Pernambuco seriam os mesmos que transportariam os veículos fabricados em Goiana para o Sudeste do país. Dessa forma, seriam realizadas 23 mil viagens a menos poupando 42 milhões de diesel por ano.

A empesa explicou ainda que o efetivo responsável por esse sistema conta com a participação de 30 cegonheiros pernambucanos e que, em breve, outros 12 profissionais locais devem ser contratados para levar os veículos ao Norte e ao Nordeste brasileiros. A Fiat afirmou que em 2016, quando a fábrica de Goiana atingir seu máximo potencial produtivo, outros 28 motoristas serão contratados no Estado. Nesse momento, será priorizada a contratação de profissionais da Zona da Mata do estado, sobretudo os que moram em Goiana desde 2013.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias