Alternativa

Programa Pró-Cotista é respiro para quem precisa financiar imóvel

Linha de financiamento que usa recursos do FGTS é alternativa para compradores

Da editoria de Economia
Da editoria de Economia
Publicado em 26/07/2015 às 6:55
Imagem: Free Images
Linha de financiamento que usa recursos do FGTS é alternativa para compradores - FOTO: Imagem: Free Images
Leitura:

O receio de não conseguir comprar a casa própria foi reforçado em maio, quando a Caixa Econômica Federal restringiu o financiamento de imóveis usados. Segundo o levantamento do portal Viva Real, a mudança impactou 70% dos compradores, que acabaram reavaliando os preços dos imóveis ou desistiram da compra. Apesar da relevância da Caixa no mercado, quem precisa financiar ainda encontra outras formas.

Uma alternativa é o Programa Pró-Cotista. Além da Caixa, o Banco do Brasil (BB) também disponibiliza a modalidade. A linha de crédito atende trabalhadores que contribuam ou tenham contribuído com o FGTS por, no mínimo, 36 meses consecutivos ou não. O teto do valor do imóvel é R$ 400 mil e os contribuintes com contas inativas precisam ter, no mínimo, 10% do valor do bem. Na Caixa, o financiamento é feito em até 85% pelo prazo máximo de 360 meses e juros entre 7,85% e 8,85% ao ano. No BB, o limite é de 90% pelo mesmo prazo e juros a 9%.

“O Programa é uma linha intermediária entre o Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo e o Minha Casa, Minha Vida e beneficia quem compra para morar”, avalia Marcelo Prata, diretor do Canal do Crédito, site especializado na comparação de preços de imóveis. “Mas sempre é preciso cautela, pesquisar e garimpar. O ideal é ter pelo menos 30% do valor do imóvel para a entrada”, recomenda.

A dica é para todos os tipos de financiamento: quanto menor o prazo, menos juros são pagos. Isso vale para bancos privados e, principalmente, para financiamentos direto com construtoras, que cobram taxas muito mais altas após a entrega do Habite-se.

Últimas notícias