Protesto

Servidores protestam contra extinção do Ministério da Previdência

Ato aconteceu na manhã desta terça-feira (31) no Recife e em três cidades do interior

JC Online
JC Online
Publicado em 31/05/2016 às 14:26
Foto: Sindsprev/Divulgação (arquivo)
Ato aconteceu na manhã desta terça-feira (31) no Recife e em três cidades do interior - FOTO: Foto: Sindsprev/Divulgação (arquivo)
Leitura:

Aconteceu na manhã desta terça-feira (31), por volta das 10h, uma mobilização do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Federais em Saúde e Previdência Social no Estado de Pernambuco (Sindsprev). Em frente à Superintendência Regional do INSS, trabalhadores protestaram contra a extinção do Ministério da Previdência Social. A manifestação também aconteceu em outras três cidades além do Recife: Caruaru, Garanhuns e Petrolina. No interior do Estado, a reunião aconteceu em frente às Gerências Executivas do órgão. 

Em sua primeira semana, o governo do presidente interino Michel Temer, considerado ilegítimo pela organização, acabou com o Ministério da Previdência Social e transferiu os serviços para o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário e o Ministério da Fazenda. Para o Sindisprev, a medida fragiliza o sistema e anuncia a intenção de privatização da previdência no novo governo. 

Em assembleia previdenciária do dia 20 de maio, dirigentes do Sindsprev e servidores definiram várias ações de luta: participar da Frente Parlamentar em Defesa da Previdência Social, lançada em Brasília hoje; organizar uma luta nacional pela manutenção do Ministério da Previdência vinculado ao Ministério do Trabalho; promover atos relâmpagos permanentes nos locais de trabalho e coletar o máximo de apoio através de um abaixo-assinado on-line e presencial contra a Reforma Ministerial, entre outras. 

O orgão também pede que a sociedade civil assine o abaixo-assinado disponível no site www.sindsprev.org.br  caso também seja contrário à extinção do Ministério. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias